Monthly Archives: julho 2017

Jorge Amado e José Saramago na FLIP

By | Comunidade, Notícias | No Comments

A 27 de julho, na 15ª edição da FLIP (Feira Internacional de Paraty), realizou-se a apresentação do livro “Com o mar por meio. Uma amizade em cartas – Jorge Amado e José Saramago”, com Paloma Amado, Pilar del Río e Luiz Schwarcz.

saramago-amado
A obra inclui reúne troca de inconfidências e agrados, trocadas entre Lisboa e Salvador, entre Paris e Lanzarote, por Jorge Amado e José Saramago. Paloma Jorge Amado, filha do escritor brasileiro, e Pilar del Río, mulher do autor português, estão à frente da iniciativa.
Foi uma explosão de alegria“, contou Paloma a propósito do momento em que acordou os detalhes do projeto com Pilar após uma rara coincidência de vontades. Os pesquisadores da Fundação Casa de Jorge Amado, no Largo do Pelourinho, centro histórico de Salvador onde está o acervo do autor de Gabriela, Cravo e Canela, já estavam a ocupar-se de digitalizar cartas enviadas por Saramago a Amado com vista a publicar um livro quando Pilar entrou em contato por telefone. A jornalista espanhola propôs que as duas famílias montassem uma casa na FLIP para discutir essa, ainda pouco conhecida, troca de correspondências. Juntou-se o útil ao agradável: além do livro editado pela Companhia das Letras, as cartas do português e do brasileiro estarão em debate na feira literária da cidade a poucos quilômetros do Rio de Janeiro.

Jorge Amado
Saramago e Amado conheceram-se em 1990, o primeiro com 68 anos e o segundo com 78, no júri do prêmio da União Latina, em Roma. A partir do ano seguinte, quando foram novamente jurados, intensificaram a relação, desenvolveram uma amizade e encontraram um objetivo comum: que o Prêmio Nobel viesse um dia parar às mãos de um autor de língua portuguesa.

image
A primeira carta trocada entre ambos, assinada unicamente “José” em dezembro de 1992 já fala do tema. A última, assinada por “Jorge“, mas também pela sua mulher Zélia (a escritora Zélia Gattai) e por Paloma, filha de ambos, data de 8 de outubro de 1998 e é exatamente a congratular o português pela conquista do prêmio da academia sueca. Conta Paloma que “na época, o papai vivia fechado em si, pesaroso pelo enfarte e principalmente pela perda de visão, por isso ficava no seu cadeirão de olhos fechados“. “Mas“, continua, citada pelo Estado de São Paulo, “quando José venceu, contei-lhe e ele imediatamente abriu os olhos, foi pegar o champanhe e disse eufórico “vamos escrever-lhes um fax“”.
O meio usado para a maioria das correspondências foi, de facto, o fax, hoje obsoleto, mas à época uma forma demasiado moderna de comunicação entre os dois já anciãos autores. Num dos faxes trocados entre Salvador e Paris, as cidades da família Amado, e Lisboa e Lanzarote, as moradas dos Saramago, o escritor baiano conta, com detalhes divertidos, como o seu aparelho se assemelhou a um vulcão em chamas após uma surpreendente avaria.

Fonte: DN e FLIP

20170722102236_jorge-amado

Lima Barreto na FLIP

By | Agenda | No Comments

Afonso Henriques de Lima Barreto nasce no Rio de Janeiro a 13 de maio de 1881. Perde a mãe, – escrava liberta e professora – aos seis anos, ficando sob os cuidados do pai, o tipógrafo João Henrique, que, poucos anos depois, é diagnosticado com uma doença que motiva o seu recolhimento pelo resto da vida. A doença do pai obriga-o a deixar os estudos para sustentar a família como Amanuense do Ministério da Guerra.

lima-barreto-genio-tardiamente-reconhecido

Inicia sua colaboração regular para a imprensa em 1905, no Correio da Manhã. O jornal, extinto em 1974, serviu de inspiração para a criação de Recordações do Escrivão Isaías Caminha, publicado em 1909. Pelas críticas à imprensa no livro, Lima Barreto é retirado do quadro de colaboradores do Correio da Manhã e tem proibida qualquer citação ao seu nome nas páginas do diário, mesmo trinta anos depois de sua morte. Passa a colaborar, sob pseudônimo, para revistas como a Fon-Fon e Revista da Época, fazendo uma crítica social e política do Rio de Janeiro e o Brasil.

Em 1911, escreve e publica Triste fim de Policarpo Quaresma em folhetim do Jornal do Comércio. O livro seria editado em livro quatro anos depois.
Lima, devido ao alcoolismo, é internado pela primeira vez no hospício em agosto de 1914, repetindo a tragédia pessoal de seu pai. A primeira internação serve, contudo, de inspiração para sua obra a posteriori.

Vida e morte de M. J. Gonzaga de Sá, livro que dialoga com o gênero biográfico, é publicado em 1919. No dia 25 de dezembro deste ano, o autor é internado pela segunda vez.

Lima Barreto morre, aos 41 anos, em 1º de novembro de 1922, Dia de Todos os Santos. No dia 3 de novembro, morre seu pai.

rosto

Clara dos Anjos, livro que foi escrito e reescrito durante quase toda a vida de Lima, é publicado em livro no mesmo ano de sua morte.

A obra de Lima Barreto passa por um resgate e uma refundação a partir da biografia publicada por Francisco de Assis Barbosa, A vida de Lima Barreto, e da recuperação de seus escritos, feita a partir do acervo pessoal catalogado pelo próprio autor.

O autor torna-se objeto de estudo de intelectuais de referência em diversas áreas da inteligência brasileira, como Antonio Candido, Nicolau Sevcenko, Osman Lins, Alfredo Bosi, Antonio Arnoni Prado, Beatriz Resende e Lilia Schwarcz.

Por muito tempo Lima Barreto ficou na ‘aba’ de literatura social, e sua obra e trajetória possibilitaram muitos debates sobre a sociedade brasileira. O que eu gostaria, mesmo, é que a Flip contribuísse para revelar o grande autor que ele é. Para além das questões importantíssimas sobre o país que ajuda a levantar, tem uma expressão literária inventiva e interessante, à frente de sua época em termos formais, capaz de inspirar toda uma linhagem da literatura em língua portuguesa”, afirma Joselia Aguiar, curadora da Flip 2017.

O Lima é o autor de um território. O universo literário dele é determinado pela criação da Avenida Central, do Rio de Janeiro, que estabelece os diferentes graus de distância dos subúrbios com a Zona Sul e o Centro da Cidade”, afirma Mauro Munhoz, diretor-geral da Flip. “O olhar do Lima sobre a variedade de personagens brasileiros – seja nos subúrbios, seja nas regiões centrais – é determinado pela experiência do território onde viveu por quase toda a vida. Desse modo, sendo um grande autor, ele fez valer a máxima ‘Se queres ser universal, começa por pintar a tua aldeia’, do Tolstói.

Filho de uma escrava com um português, cursou as primeiras letras em Niterói e depois transferiu-se para o Colégio Pedro II. Em 1897 ingressou no curso de engenharia da Escola Politécnica. Em 1902 abandonou o curso para assumir a chefia e o sustento da família, devido ao enlouquecimento do pai, e empregou-se como amanuense na Secretaria da Guerra.

Filho de uma escrava com um português, cursou as primeiras letras em Niterói e depois transferiu-se para o Colégio Pedro II. Em 1897 ingressou no curso de engenharia da Escola Politécnica. Em 1902 abandonou o curso para assumir a chefia e o sustento da família, devido ao enlouquecimento do pai, e empregou-se como amanuense na Secretaria da Guerra.

Desde 2003, a Flip oferece todos os anos em Paraty uma experiência única, permeada pela literatura. Sempre em conexão com a cidade que a recebe, a festa é mais do que um evento, é uma manifestação cultural. Numa interlocução permanente entre as artes, propaga vivências focadas sobretudo na diversidade.

Às margens do rio Perequê-Açu, numa tenda especialmente montada para a festa, autores se reúnem em conversas que transitam por múltiplos temas, como teatro, cinema e ciência. Além disso, a Flip oferece uma programação que mantém seus princípios fundadores: originalidade, intimismo, informalidade, o encontro singular entre escritores e público e, acima de tudo, ações de permanência. Flipinha, FlipZona e FlipMais compõem o programa da festa, com atividades que combinam literatura infantojuvenil, performance, debates, artes cênicas e visuais.

Cada edição presta homenagem a um autor brasileiro – uma maneira de preservar, perpetuar, difundir e valorizar a língua portuguesa e a literatura do Brasil. Pensados pelo curador da festa, os eixos temáticos são apresentados a partir de um vigoroso time de escritores e escritoras. Salman Rushdie, Don DeLillo, Ariano Suassuna, Isabel Allende, Neil Gailman, Angélica Freitas, Toni Morrison e Chico Buarque são alguns dos nomes que já circularam por Paraty. Como de costume, trazer à tona autores da nova geração também é parte fundamental da programação da Flip.

Fonte: FLIP

lima_barreto87007

Prêmios Gulbenkian 2017

By | Comunidade, Notícias | No Comments

Prêmio Calouste Gulbenkian 2017, no valor de 100 mil euros, será entregue ex-aequo à Hungarian Helsinki Committee, uma organização não-governamental que dá apoio legal a migrantes e refugiados na Hungria e a Jane McAdam, uma influente professora e investigadora australiana na área do Direito. Os dois vencedores repartem entre si este prêmio como reconhecimento do inestimável contributo na defesa dos direitos humanos, em particular, dos refugiados.

FCG_3Lines_Partnerships_EZ_01

Os vencedores portugueses dos Prêmios Gulbenkian 2017, nas categorias de Conhecimento, Sustentabilidade e Coesão, são, respetivamente, a Sociedade Portuguesa de Matemática, a Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense (ADVID) e a Sociedade Artística Musical dos Pousos. As três categorias destes Prêmios, no valor de 50 mil euros cada, correspondem às áreas prioritárias em que a Fundação vai intervir nos próximos anos.

 

Os prêmios foram entregues numa cerimônia presidida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, realizada no Anfiteatro ao Ar Livre, a 20 de julho [Dia Calouste Gulbenkian], que culminou com um concerto da Orquestra Gulbenkian dirigida pelo maestro José Eduardo Gomes com obras de Ludwig van Beethoven e Jennifer Higdon, e da fadista Gisela João (no Grande Auditório da Fundação), concertos estes que marcaram também o encerramento do Jardim de Verão.

 

 

Prêmio Calouste Gulbenkian – Direitos Humanos

Este ano dedicado ao reconhecimento de ações de mérito na defesa dos refugiados, o Prêmio Calouste Gulbenkian 2017 distinguiu a Hungarian Helsinki Committee, pelo caráter “singular e exemplar” desta organização que presta assistência jurídica regular e gratuita aos requerentes de asilo, refugiados e apátridas na Hungria. Fundada em 1989 com a missão de defender a dignidade humana, esta organização tem sido, segundo o júri do Prêmio, a “voz dos refugiados”, bem como a “voz crítica mais audível das políticas ilícitas e desumanas” praticadas na Hungria. Ajudando refugiados, detidos e vítimas de violência policial “num panorama profundamente adverso”, esta organização constitui um “incentivo à resistência por parte da sociedade civil daquele país”.

Premio-Calouste-Gulbenkian-Hungarian-Helsinki-Committee

O trabalho desta organização conduziu à abertura de dois processos de infração pela Comissão Europeia contra a Hungria por violar a legislação da UE em matéria de asilo bem como em várias declarações extremamente críticas do Parlamento Europeu, do Conselho da Europa e da ONU. Em 2004, com o apoio de especialistas acadêmicos, esta organização lançou o “Refugee Law Reader”, a única base de dados existente online com ferramentas complexas para apoiar o ensino do direito dos refugiados, a qual fornece acesso a literatura especializada no direito internacional, assim como cursos modelo e apoio metodológico para professores e educadores.

O Hungarian Helsinki Committee, através de Márta Pardavi, uma das responsáveis pela organização, mostrou-se “profundamente honrado” pelo prêmio, encarando-o como um importante estímulo para continuar uma tradição de mais de 25 anos a liderar a defesa dos direitos humanos na Hungria, “num ambiente cada vez mais xenófobo e marcado por uma pressão política crescente sobre a sociedade civil independente”. Sublinha que o prêmio vai reforçar, a longo prazo, o trabalho da organização na Hungria e fora dela. “Quando aqueles que têm por função proteger os direitos humanos os ignoram, virando deliberadamente as costas às pessoas em fuga da guerra e do terror, os defensores dos direitos humanos devem assumir corajosamente essa luta por esses valores e pelos mais vulneráveis”.

Premio-Calouste-Gulbenkian-JaneMcADAM-e1500390201213

O júri decidiu ainda premiar o contributo de Jane McAdam para a melhoria da vida de milhões de refugiados e migrantes, sublinhando o alcance e o impacto das ideias desta jovem advogada, que dirige um Centro de Direito Internacional de Refugiados na Universidade de Nova Gales do Sul em Sidney, com efeitos práticos na legislação, na jurisprudência e nas políticas aplicadas neste campo. A investigação da premiada na área do direito internacional tem-se revelado fundamental, de acordo com o júri, para a “criação de soluções seguras, duradoras e legais” em resposta a questões atuais e complexas relacionadas com a migração forçada, desalojados pelos impactos das mudanças climáticas ou catástrofes naturais. Em 2011, Jane McAdam desenvolveu uma investigação sobre estas questões para o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e colaborou de perto na criação do projeto internacional mais significativo neste campo:“The Nansen Initiative on Disaster-Induced Cross-Border Displacement”, transformada agora na Platform on Disaster Displacement. Em 2016, desenvolveu, também para o ACNUR, recomendações para a sua estratégia institucional sobre alterações climáticas e desalojados devido a catástrofes. A sua investigação sobre proteção de pessoas que enfrentam graves abusos de direitos humanos (por exemplo, tortura), teve repercussões na sociedade civil e conduziu a uma grande reforma da lei australiana.

Jane McAdam declarou estar “extraordinariamente honrada” pelo prêmio acrescentando que existem hoje poucos desafios maiores do que este para a comunidade internacional: conseguir encontrar respostas eficazes para os refugiados e outros migrantes forçados. Lembrando que existem mais de 65 milhões de pessoas em todo o mundo deslocadas das suas casas em resultado de perseguições, conflitos, abuso dos direitos humanos e outros 25 milhões por motivo de desastres ou das mudanças climáticas, McAdam sublinhou a “urgência de respostas positivas que possam assegurar às pessoas uma vida segura e digna”.

Presidido por Jorge Sampaio, o júri do Prêmio Calouste Gulbenkian, é composto por personalidades nacionais e internacionais como Emílio Rui Vilar, José Ramos-Horta, Demetrios G. Papademetriou, Michel Sidibé, Jody Williams e Asma Jahangir.

 

O Prêmio Calouste Gulbenkian foi atribuído pela primeira vez em 2012 à West-Eastern Divan Orchestra, a formação liderada por Daniel Barenboim, tendo nos anos seguintes, contemplado, respetivamente, a Biblioteca de Alexandria (2013), a Comunidade de Santo Egídio (2014), Denis Mukwege (2015), o médico congolês que tem dedicado a sua vida a assistir mulheres vítimas de violação na República Democrática do Congo e a Fundação Amazonas Sustentável (2016).

 

Prêmios Portugueses – Conhecimento, Sustentabilidade e Coesão

Premio-Gulbenkian-Conhecimento-Olimpiadas

Na base da decisão do júri em atribuir o Prêmio Gulbenkian à Sociedade Portuguesa de Matemática, na área do Conhecimento, estão as Olimpíadas de Matemática, uma iniciativa educativa de referência e de grande impacto nacional, que há mais de três décadas promove o gosto por esta disciplina. Organizada desde 1983, de uma forma cada vez mais “ampla e sólida”, de acordo com o júri, esta iniciativa tem vindo a conseguir colocar dezenas de milhares de alunos do ensino básico e secundário em contacto com a matemática “num ambiente estimulante e criativo”. O júri salientou ainda o facto de as Olimpíadas constituírem oportunidades preciosas para os docentes desenvolverem nos seus alunos, a par das aulas, “um interesse mais profundo pela disciplina”, permitindo também identificar jovens talentos nesta área.

Premio-Gulbenkian-Sustentabilidade-ADVID

Na área da Sustentabilidade, os esforços desenvolvidos pela Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense para reduzir a pegada ecológica dos viticultores seus associados mereceu o aplauso do júri do Prêmio Gulbenkian. A ADVID agrega 175 empresas de vinho da região demarcada do Douro e trabalha em parceria com 75 entidades acadêmicas, públicas, e associações empresariais. Os projetos e estudos que tem vindo a promover no âmbito dessas parcerias têm contribuído, salienta o júri, para o “desenvolvimento sustentável da vitivinicultura”. Sempre com a sustentabilidade como critério, o júri destacou os projetos e estudos relacionados com a conservação do solo, com o uso racional dos fitofármacos e fertilizantes, o modo de produção integrada e biológica, a mitigação do impacto das alterações climáticas, a preservação da biodiversidade e a promoção da economia circular e da eco-eficiência.

Premio-Gulbenkian-Coesao-Pousos

Finalmente, na área da Coesão, o júri premiou a Sociedade Artística Musical dos Pousos, uma instituição com 143 anos, que desenvolve projetos no campo da integração social pela arte. O júri sublinhou “a originalidade, a consistência e o carácter inovador” da sua ação, com particular destaque para os programas dedicados aos idosos, desde a musicoterapia para pessoas com Alzheimer ou a necessitar de cuidados paliativos, até à prática musical em comunidade. O júri destacou os programas Novas Primaveras, que oferece experiências artísticas, fruição e prática, por duplas de profissionais que visitam regularmente lares, centros de dia e acompanham o apoio domiciliário; Aqui Contigo, destinado a pessoas em estado terminal; e Palco em Casa, concertos breves para idosos que vivem sós em territórios rurais.

Um dos projetos desenvolvidos por esta Sociedade foi apoiado pela Fundação Gulbenkian no âmbito do Programa Partis. Tratou-se do Programa Ópera na Prisão que envolveu reclusos do Estabelecimento Prisional Regional de Leiria que, sob a direção de Paulo Lameiro, diretor artístico da Sociedade, participaram numa produção da ópera D. Giovanni de Mozart, que culminou com uma inesquecível representação no palco do Grande Auditório no verão passado.

O júri dos prêmios portugueses é constituído por personalidades de relevo de várias áreas da vida nacional. Presidido por António Feijó, conta com nomes como Henrique Leitão, Miguel Tamen, João Ferrão, Paula Guimarães, Teresa Mendes e Sofia Guedes Vaz.

Fonte: Fundação Calouste Gulbenkian

PremioCGulbenkian570

Tudo se Desmorona

By | Agenda, Notícias | No Comments

Impactos Culturais da Grande Guerra em Portugal

 

Integrada num conjunto de iniciativas evocativas do centenário da Primeira Guerra Mundial, a exposição “E tudo se desmorona’: Impactos Culturais da Grande Guerra em Portugal” procura dar conta do seu impacto na sociedade e cultura portuguesas, quer no decurso do conflito propriamente dito, quer nos anos subsequentes, tendo como referência um período cronológico situado entre 1914 e 1935.

Tudo-se-Desmorona-2

Organizada em torno de seis núcleos temáticos, a exposição apresentará diversas obras e documentos inéditos evocativos dos acontecimentos, mudanças e tendências sociais e culturais ocorridas neste período e que tiveram a sua gênese ou foram acentuadas com a deflagração da Grande Guerra.

Tudo-se-Desmorona-5

Comissários:

Pedro Oliveira, Carlos Silveira, Ana Vasconcelos

 

Onde:

Fundação Calouste Gulbenkian

Edifício Sede – Galeria do Piso Inferior
Av. de Berna, 45A, Lisboa
+351 217 823 000

 

Quando:

Até Segunda feira, 4 setembro 2017
Das 10:00 até 18:00
Bilhetes

Entrada livre

Fonte: Fundação Calouste Gulbenkian

 

Vem aí o AURA

By | Agenda, Notícias | No Comments

A terceira edição do AURA irá concretizar-se de 10 a 13 de agosto e faz da vila de Sintra, palco de inúmeras instalações artísticas e luminosas.

A misteriosa vila prepara-se assim, para receber o AURA. Trata-se da terceira edição do evento gratuito que acontece apenas durante a noite, para que a vila brilhe verdadeiramente no escuro.

Com início a 10 de agosto, o AURA irá levar às ruas as criações de 20 artistas, oriundos de cinco países diferentes.

O tema deste ano são as light atmospheres e que tiram inspiração, por exemplo, na beleza das auroras boreais. A partir das 21h e sempre até as 00h, os visitantes podem percorrer o percurso iluminado entre o Museu de Artes de Sintra e a Quinta da Regaleira.

aurafestival

Entre os dois pontos, serão várias as inspirações das obras que irão tomar várias formas: da simples instalação luminosa a projeções de vídeo e espetáculos de video mapping.

A entrada, já se sabe, é gratuita!

Aura festival

Festival Ibero-Americano de Narração Oral

By | Comunidade, Notícias | No Comments

Durante três dias, de 14 a 16 de julho, a reaberta Biblioteca do Palácio Galveias, em Lisboa, recebeu o Festival Ibero-Americano de Narração Oral, com histórias tradicionais contadas por oradores vindos de países da América latina, tais como México, Peru, Uruguai, Colômbia e Brasil.
As histórias contadas pelos avós e os livros lidos pelos pais são determinantes na formação de uma criança. Afinal, trata-se de dar a conhecer o mundo a quem é pequenino e pouco viu.

top-15-books-read-baby-mom-2160x1200
O local escolhido – o antigo palácio do século XVII – reabriu portas a 10 de junho, depois de quase dois anos encerrado para remodelações, e começa agora a voltar-se para a programação familiar. É o caso deste Festival Ibero-Americano de Narração Oral, que teve inclusive um horário especial para o público infantil.
As sessões matinais, especialmente dirigidas aos mais novos, foram recheadas com contos tradicionais do Uruguai, Espanha, Argentina e Peru e outras histórias. Tiveram a participação de atrizes, escritores e dramaturgos, que numa época dominada pelo tablet e pelo visor dos smartphones, não deixaram a tradição oral morrer.
Portugal também se faz representar, com narradores de várias regiões do país, sem esquecer as ilhas. No total, honraram a iniciativa do poder das palavras, 15 contadores de oito países, no ano em que Lisboa é capital da cultura ibero-americana.

Lisboa_Capital_Ibero-americana-cultura_2017

CPLP Concede Estatuto de Observador Consultivo à AGLP

By | Comunidade, Notícias | No Comments

O Conselho de Ministros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, na sua XXII reunião ordinária, realizada em Brasília no dia 20 de julho de 2017, decidiu conceder a categoria de Observador Consultivo à Fundação Academia Galega da Língua Portuguesa.

 

A decisão ora adotada é duplamente significativa, por ser a primeira entidade da sociedade civil galega a participar oficialmente neste organismo, o que poderá vir a reforçar as posições pró lusófonas na Galiza, e por tratar-se de uma Academia que defende a unidade da língua portuguesa, de que o galego faz parte.

 

O presidente da Academia, professor Rudesindo Soutelo, salientou a importância deste reconhecimento, que faz extensivo a todos os cidadãos galegos, instituições acadêmicas e entidades culturais que partilham a visão do português como norma internacional válida para a Galiza, e manifestou o seu agradecimento ao governo da República de Angola, que patrocinou a candidatura da Academia com o apoio explícito de outros países membros, como já o tinha feito na Cimeira de Luanda, em 22 de julho de 2011, bem como à Fundação Doutor António Agostinho Neto, pelo seu inestimável apoio ao longo destes anos.

 

A Academia Galega da Língua Portuguesa foi criada formalmente em 20 de setembro de 2008 em Santiago de Compostela. Realizou a sua sessão inaugural em 6 de outubro do mesmo ano, com a presença de representantes da Academia das Ciências de Lisboa, Academia Brasileira de Letras, Governo Autônomo da Galiza e diversas personalidades lusófonas. Formada por 32 acadêmicos numerários, mantém atualmente um relacionamento estável com mais de 30 instituições de Angola, Argentina, Brasil, Canadá, Goa (Índia), Macau (China) e Portugal.

 

Neste breve espaço de tempo integrou o Léxico da Galiza no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da Porto Editora e no Vocabulário Priberam, através do programa informático FLiP.

 

Publicou 8 números do seu Boletim, iniciou uma Coleção Clássicos da Galiza, realizou uma série de Seminários de Lexicologia, publicou o Vocabulário Ortográfico da Galiza, com 150,000 entradas, organizou diversos encontros internacionais em Santiago de Compostela, e colaborou em diversas Conferências da Comissão de Promoção e Difusão da Língua Portuguesa, dos Observadores Consultivos da CPLP. Tem, como dicionário de referência, o Dicionário Estraviz, atualizado conforme ao Acordo Ortográfico de 1990, e acessível gratuitamente na internet.

 

A Academia Galega da Língua Portuguesa é uma Fundação registada no Ministério da Cultura da Espanha em 1 de março de 2011 com o número 980, sendo de âmbito estatal. Entre as suas funções estatutárias encontra-se a defesa da unidade da língua portuguesa, e o assessoramento a instituições públicas e governos em matéria de relações internacionais com os países de língua portuguesa. Tem a sua sede na Casa da Língua Comum, em Santiago de Compostela.

 

Contacto: secretaria@academiagalega.org

Portugal no Coração

By | Comunidade, Notícias | No Comments

Divulgação do Programa “Portugal no Coração” – 2017

O Consulado Geral de Portugal em Salvador, Bahia, solicitou-nos que noticiássemos o seguinte:

[…]”Com vista à divulgação junto da comunidade portuguesa e luso-descendentes na Bahia, tenho a honra de junto enviar a V. Exa. o regulamento da edição de 2017 do Programa “Portugal no Coração”.

Este programa visa proporcionar aos cidadãos portugueses, com mais de 65 anos de idade, uma visita a Portugal, cumpridas as condições dispostas no Artigo 2º do referido regulamento.

Muito se agradecia a V. Exa. que as eventuais candidaturas fossem enviadas a este Consulado Geral até ao dia 5 de setembro próximo, mediante o preenchimento da “ficha de candidatura” em anexo (acompanhada de uma fotocopia simples do documento de identificação – BI ou CC) e do Termo de Responsabilidade, que se junta, devidamente assinado.” […]

Portugal_do_Coração

PROGRAMA “PORTUGAL NO CORAÇÃO
REGULAMENTO

 

Promovido por:
Ministério dos Negócios Estrangeiros (GSECP), Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social
(Fundação INATEL) e TAP Portugal
Organizado e gerido pela Direção-Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas e pela
Fundação INATEL

 

REGULAMENTO

Atento à importância das Comunidades Portuguesas no estrangeiro e a situações de menor prosperidade que atingem alguns dos seus nacionais mais idosos, impedindo-os de visitar a Pátria, como seria seu desejo, o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas entendeu contemplar com uma visita a Portugal, se não todos os que o pretenderiam, pelo menos alguns daqueles que, quer pela sua situação económica, quer pelo avançado da idade, quer pela distância que os separa da sua terra natal, dificilmente o poderiam fazer pelos seus próprios meios.

Neste contexto e tendo em conta a boa experiência de realizações semelhantes levadas a efeito em anos anteriores, foi criado por despacho de 06/02/1996 do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, que se realizará de acordo com o presente Regulamento.

Artigo 1.º

Objetivo

O Programa “Portugal no Coração” tem como objetivo proporcionar, nos termos do presente Regulamento, uma estadia de curta duração em Portugal a cidadãos idosos, portugueses, residentes no estrangeiro.

 

Artigo 2.º
Destinatários

1. Podem candidatar-se ao Programa “Portugal no Coração” os cidadãos portugueses residentes fora da Europa, que:
a) há mais de 20 anos não visitam o nosso País;
b) com mais de 65 ou mais anos de idade completados até ao dia do início da viagem;
c) se encontrem em condições físicas que lhes permitam viajar autonomamente.
2. Não podem candidatar-se nem de outra forma beneficiar do Programa aqueles que, embora preenchendo as condições previstas no número anterior, apresentem uma situação económica que lhes permita suportar os encargos com uma estadia similar ou tenham já beneficiado deste ou de outro programa com o mesmo objetivo.
3. Podem recandidatar-se a participar no Programa todos aqueles que, preenchendo as condições referidas no nº 1 do presente artigo, não tenham sido selecionados em edições anteriores.

 

Artigo 3.º
Conteúdo

1. O Programa é composto por:
a) viagem a Portugal e regresso ao país de residência;
b) programa turístico-cultural em Portugal, em regime de pensão completa, com a duração aproximada de 10 dias.
2. Após o Programa, os participantes poderão prolongar a sua estadia em Portugal junto de familiares e/ou amigos que os acolham e suportem eventuais encargos daí decorrentes.

 

Artigo 4.º
Limites

1. O Programa contempla um número de idosos a definir anualmente (até ao máximo de 15 participantes), depois de conhecidas as disponibilidades da Fundação INATEL, da TAP Portugal e da DGACCP.
2. A viagem é efetuada no 4º trimestre, preferencialmente no mês de outubro.

 

Artigo 5.º
Custos

1. Os custos do Programa são suportados pela TAP Portugal, pela Fundação INATEL e pela DGACCP.
2. Cada participante usufrui ainda de um seguro coletivo de acidentes pessoais, cobrindo apenas os riscos durante as viagens e o programa turístico- -cultural.
3. O seguro referido em 2. abrange o período do programa turístico-cultural, o que não impede, no entanto, uma estadia mais alargada junto de familiares e/ou amigos, apesar de o participante já não estar abrangido por esse benefício.
4. Não estão abrangidas despesas de natureza médica ou outras após o termo do programa turístico-cultural.
5. A DGACCP suportará outras despesas de natureza diversa, sempre que se revelem essenciais para o bom funcionamento do Programa e que serão objeto de norma interna.

 

Artigo 6.º
Candidaturas

1. As candidaturas são formalizadas pelos interessados mediante o preenchimento de um formulário próprio e entregues ou enviadas às Missões ou aos Postos Consulares das respetivas áreas de residência, nas datas estipuladas, em cada ano, para o efeito.
2. Depois de apreciadas as candidaturas, as fichas selecionadas deverão ser remetidas pelas respetivas Embaixadas via fax à DGACCP até à data limite referida aquando da divulgação.

 

Artigo 7.º
Critérios de seleção

Os critérios que presidem à seleção de candidatos são os seguintes:
a) idade mais avançada;
b) situação económica de maior carência;
c) maior período de ausência.

 

Artigo 8.º
Processo de seleção

1. Os dados constantes do formulário referido no artigo 6º serão devidamente confirmados no próprio impresso pelas Missões ou Postos Consulares, nomeadamente no que se refere a idade, situação económica e data da última vinda a Portugal.
2. Não serão aceites fichas de candidatura sem a atestação, pelas Missões ou Postos Consulares, da veracidade das declarações nelas prestadas.
3. A pré-seleção dos candidatos é efetuada pelas Missões ou Postos Consulares no país de residência.
4. Sempre que haja casais candidatos, deverá procurar-se a inclusão de ambos os cônjuges no Programa, desde que satisfaçam os requisitos exigidos no artigo 2º do presente Regulamento.
5. A seleção final é da responsabilidade do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas com base em proposta fundamentada do júri designado pela DGACCP, que tem a seu cargo a execução do Programa.
6. Os Serviços intervenientes poderão solicitar aos candidatos quaisquer outros elementos que julguem necessários e sejam adequados à apreciação da sua candidatura.
7. Qualquer falsa declaração, nomeadamente quanto ao período de ausência de Portugal e a situação económica, poderá implicar a responsabilização do declarante pelas despesas inerentes à sua participação no Programa.
8. Aos candidatos selecionados desta iniciativa será pedido um atestado médico comprovativo do seu estado de saúde, bem como o preenchimento, pelo clínico assistente respetivo, de uma ficha médica, onde figurem as principais patologias e a medicação diária prescrita.
9. Em caso algum os participantes poderão ficar a cargo da família e/ou de amigos em Portugal antes de cumprido o programa turístico-cultural, sob pena de lhes ser cancelado o voo de regresso.
10. O Programa “Portugal no Coração” não se destina a repatriamentos.

 

Artigo 9.º
Cooperação com outras entidades

Para execução do presente Programa poderá ser solicitada a cooperação de outras entidades, públicas ou privadas, admitindo-se o recurso a patrocínios, designadamente financeiros.

 

Artigo 10.º
Casos omissos

Os casos omissos no presente Regulamento serão objeto de decisão do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

Projeto de Promoção e de Intercâmbio Cultural e Turístico

By | Notícias, Projetos | No Comments

Gabinete Português de Leitura de Salvador – Direção de Cultura

1 – Occasus

a) Cultura – Conjunto de conhecimentos adquiridos, hábitos sociais ou religiosos, normas de comportamento, saberes, manifestações intelectuais e artísticas, hábitos ou crenças que caracterizam uma sociedade especifica.

b) Promoção Turística – Ação ou efeito de promover atividades e empreendimentos com a intenção de divulgar os atrativos naturais, históricos e culturais, desses locais.

c) Intercâmbio – Relações que são desenvolvidas de modo reciproco entre pessoas, instituições, países, etc..


2 – Isto Posito

a) Propósito – A intenção máxima deste projeto do G.P.L., é o do enriquecimento intelectual humano, com da percepção global dos diferentes valores e da interligação com as diversas formas de expressão.

b) Oportunidade – Em decorrência de um maior aproveitamento de instrumentos de marketing cultural como alternativa estratégica para obtenção de maior visibilidade, parece crescer a tendência de várias entidades – públicas e ou privadas – se associarem por forma a ganharem destaque, e com isso, almejarem alcançar influência e importância crescente.

c) Envolvência – Para a concretização de parte ou do todo deste projeto, é necessária a participação de várias pessoas, a título voluntário ou mandatário, mas que tenham uma atitude atenta, dinâmica e responsável. O projeto só poderá ter sucesso se houver participação de um número qualitativo e experiente de pessoas;

d) Público Alvo – Definir, de forma teórica, o público alvo para este projeto global, é por agora difícil, uma vez que [neste momento] ainda não conhecemos a oportunidade e envolvência das diversas entidades que se irão identificar com o que pretendemos mostrar, incluindo a localização geográfica de origem ou destino da ação. Para as entidades que se forem manifestando positivamente, serão elaborados projetos específicos, nomeadamente:

  1. Desenvolvimento da proposta conceitual e artística;
  2. Objetivação do público alvo a atingir;
  • Calendarização do período ou do número de sessões que se pretende realizar para alcançar o seu objetivo;
  1. Identificação dos recursos humanos envolvidos;
  2. Elaboração de um plano de divulgação;
  3. Elaboração de um eventual orçamento.

3 – Praefatio

 a) O  objetivo principal deste projeto, é o de – claramente – auto promover o G.P.L. ao ocasionar eventos de índole cultural, em consonância com outros intervenientes.

b) Entenda-se como de importância fundamental para o êxito deste, a participação e envolvência de entidades que possam aportar valor para o G.P.L., incluindo meios logísticos e financeiros, a gestão e participação direta do Gabinete Português de Leitura de Salvador, em conjunto com qualquer outra entidade institucional, como são exemplo, Secretarias de Cultura e Turismo Municipais, estaduais, nacionais, estrangeiras, instituições ou empresas, e de outras que este Gabinete considere relevantes.

c) Para o G.P.L. – este será mais um meio de promover a sua capacidade de organização, ao destacar-se na arena interna e externa como entidade capaz de gerir projetos de grande envergadura, em paralelo com a obtenção de mais fontes de financiamento.


4 – Opportuna Conceptus 
I

Promoção Local

a) No seguimento do que está definido no “prefácio”, pretende-se com este conceito estratégico, elaborar eventos em consonância com as entidades locais (Munícipio; Estado; etc.), com o objetivo de promover a cultura da nossa cidade e ou do nosso estado, ao mesmo tempo que se promove turisticamente os seus atrativos, no local do Happening Cultural.

b) Para este conceito, teremos que pedir apoio às entidades locais, nomeadamente às Secretarias de Cultura e Turismo, bem como, por exemplo, às respectivas empresas públicas de promoção.

c) Aqui, o objetivo é o de adequar projetos do G.P.L. aos projetos de promoções locais, e daí obtermos prestígio e financiamento

5 – Opportuna Conceptus II

Promoção Internacional

a) O conceito deste, é o de promover a cultura de um outro pais ou de um local de outro pais, na nossa cidade e no nosso estado, ao mesmo tempo que se promove turisticamente os seus atrativos no local do Happening Cultural.

b) Para que este conceito se concretize, há a necessidade de dirigirmos aos vários Consulados e/ou entidades estrangeiras (como são exemplo, o Goethe Institut [Alemanha]; Turismo de Portugal; Fundação Calouste Gulbenkian; etc.; etc;), no sentido de estas entidades facultarem o seu apoio à realização de diversos eventos culturais e de promoção turística, sobre diversas formas, incluindo: filmes; palestras com personagens desses países; vinda de grupos étnicos; exposições; etc.

c) Neste, o objetivo é o de adequar projetos de outros, ao G.P.L., e daí obtermos prestígio local, internacional e provável apoio logístico e financeiro, ao mesmo tempo que, perante a comunidade local, passamos uma imagem de entidade cultural de nível global, no âmbito do verdadeiro espírito dos descobrimentos.


6 – Opportuna Conceptus 
III

Intercâmbio

a) Neste conceito, define-se como pressuposto, o de aprender ou de mostrar, os costumes, as tradições de um local, em um outro local. Significa ainda a troca de conhecimentos, costumes e informações entre diferentes regiões, seja de um mesmo país (como, por exemplo, o Brasil, um país continental com várias culturas miscigenadas dentro de uma só nacionalidade – um verdadeiro caldeirão de culturas), instituições com a mesma índole (como, por exemplo, com outros Gabinetes de Leitura), ou em ou de outros países ou culturas estrangeiras.

b) Aqui, como o objetivo é o de troca, ajudarmos – na mesma proporção, conceito, envolvência e oportunidade – na promoção ou na gestão de uma parceria com uma entidade externa à aérea de atuação, e que possa envolver parte ou todos os conceitos anteriormente definidos.

c) Importa salientar a responsabilidade que este conceito tem, não só pela envolvência de recursos humanos, mas também financeiro, compromisso e gestão de imagem.


7 – Ultima Conclusio
 IV

Futuro

a) O futuro de qualquer organização, está relacionado com inúmeros detalhes, uns mais tangíveis do que outros.

b) A missão de uma organização é algo crucial, mas nem sempre alcançada por força daqueles inúmeros detalhes, alguns deles até bastante humanos;

c) A visão é a idealização de um futuro desejado para a organização. Ela deve ser clara e estar em permanente adaptação. É a projeção de objetivos ambiciosos, que devam ser estimulantes, com objetivo de impactar uma imagem que desafie e mobilize todos os envolvidos na construção dessa conquista;

d) Toda a organização que deseje implementar o seu planejamento estratégico deve demonstrar com clareza os valores (missão e visão) que orientam a sua gestão estratégica;

e) A promoção da imagem organizacional do G.P.L., é um dos principais instrumentos que dispomos para criarmos um marketing da nossa organização;

Direção de Cultura
António Cunha

Projeto BTS

By | Projetos | No Comments

Projeto BTS

Introdução

Projeto Baía de Todos os Santos


Calendário

O Projeto Baía de Todos os Santos tem como principal proposta registrar entre as datas da primeira passagem (2 de maio de 1500) e da sua descoberta (1º de novembro de 1501) estudos e pesquisas geológicas, geográficas, arqueológicas, históricas e de promoção das riquezas materiais e intelectuais da BTS.

Para isso, o Gabinete Português de Leitura convoca as escolas, instituições culturais, associações desportivas, prefeituras municipais, organizações educativas e a mídia, ao preenchimento da agenda de eventos na chamada “baixa estação”; tudo concentrado nas cidades que estão à margem da baía e dos rios afluentes dela, ou seja, do famoso Recôncavo Baiano. Basta encaminhar a atividade para gplsalvador@gmail.com e aguardar postagem no www.gplsalvador.com.br , conforme tabela no link abaixo.

PROJETO BAÍA DE TODOS OS SANTOS

O Projeto Baía de Todos os Santos tem como principal proposta registrar entre as datas da primeira passagem (2 de maio de 1500) e da sua descoberta (1º de novembro de 1501) estudos e pesquisas geológicas, geográficas, arqueológicas, históricas e de promoção das riquezas materiais e intelectuais da BTS. Para isso, o Gabinete Português de Leitura convoca as escolas, instituições culturais, associações desportivas, prefeituras municipais, organizações educativas e a mídia, ao preenchimento da agenda de eventos na chamada “baixa estação”; tudo concentrado nas cidades que estão à margem da baía e dos rios afluentes dela, ou seja, do famoso Recôncavo Baiano. Basta encaminhar a atividade para gplsalvador@gmail.com e aguardar postagem no www.gplsalvador.com.br, conforme tabelas abaixo.
EFEMÉRIDES
DATA LOCAL DESCRIÇÃO
02.05.1500 Baía de Todos os Santos Volta de Gaspar de Lemos para Portugal, passando e marcando a latitude de um abrigo em Cairú, na Baía de Todos os Santos
Neste intervalo serão inseridas todas as efemérides entre maio e outubro de todos os anos, relativas às ocorrências históricas na Baía de Todos os Santos e em todos os municípios do Recôncavo, desde Salvador até Cachoeira, Valença e Cairu, servidos pelos rios Subaé, Paraguaçú, Jaguaripe, Jequiriçá, Una e os outros, menores.
01.11.1501 Baía de Todos os Santos Descoberta da Baía de Todos os Santos pela expedição portuguesa de Gonçalo Coelho
21.05.1550 Salvador Tomé de Sousa determinou que a Igreja de Nossa Senhora da Conceição fosse a “igreja principal desta Cidade do Salvador”.
15.08.1668 Salvador Naufrágio do Galeão Sacramento, navio português que escoltava uma frota de 50 embarcações armadas, saindo da Baía de Todos os Santos.
02.05.1693 Jaguaripe Jaguaripe tornou-se a primeira vila do Recôncavo Baiano.
25.10.1733 Salvador Licença régia outorgada por D. João V, rei de Portugal, para construção do Convento de Nossa Senhora da Conceição da Lapa.
15.07.1811 Salvador Fundação da Associação Comercial da Bahia, a mais antiga instituição das Américas e da Europa Ibérica, na Praça do Comércio – hoje Praça Conde dos Arcos – então à beira da Baía de Todos os Santos.
14.06.1822 Vila de Santo Amaro Reunião do clero, da nobreza e do povo gerou pedido da Câmara (em ata) para instituir um Poder Executivo Brasileiro.
25.06.1822 Cachoeira – O povo confirmou na praça a decisão da Câmara, que aclamou o português D. Pedro, filho do rei D. João VI, de Portugal, “regente constitucional e defensor perpétuo do Brasil”.
10.07.1822 Itaparica Assalto de barcas portuguesas com pelotão de arcabuzeiros que invadiram a igreja de São Lourenço e despiram imagem do Senhor dos Martírios. Início das lutas que terminariam ali em 7 de janeiro de 1823 com a vitória dos itaparicanos.
10.08.1822 Cachoeira Organização do Batalhão Itaparica, para combater as forças portuguesas na ilha de Itaparica.
02.07.1823 Salvador Às 11 horas, as tropas portuguesas deixaram a Baía de Todos os Santos em 86 navios, encerrando as lutas pela Independência do Brasil.
08.08.1833 Itaparica Emancipação da ilha, que pertencia a Salvador. Habitada por índios, teve um primeiro povodo jesuita por volta de 1560: a Vila do Senhor da Vera Cruz (hoje Baiacu).
08.05.1850 Maragogipe A “Patriótica Cidade de Maragogipe” nasceu da Lei Provincial nesta data, mas o município foi criado com o desmembramento de Jaguaripe, por Carta Régia de 17 de dezembro de 1693.
09.05.1860 Jiquiriçá Fundação do povoado de Jiquiriçá, que se tornou município em 31 de janeiro de 1891, com o nome de Capela Nova de Jiquiriçá.
06.07.1871 Salvador Morreu o poeta (Antonio Frederico de) Castro Alves, no solar de sua família, à Rua do Sodré (hoje Colégio Ipiranga), tendo nascido em 14 de março de 1847 na fazenda Cabaceiras, hoje município de Castro Alves.
29.05.1880 Santo Antônio de Jesus Lei nº 1952 criando o município de Santo Antônio de Jesus, desmembrado do Município de Nazaré, mas só instalado em 4 de março de 1883.
02.08.1890 Una Criação do Município de Una
25.10.1890 São Felix Elevação a Cidade de São Felix do Paraguaçu, que se tornou município por decreto estadual que o criou em 8 de julho de 1931.
30.06.1892 Santo Antônio de Jesus Lei que criou a Cidade de Santo Antônio de Jesus, sede do município criado por Lei Provincial de 29 de maio de 1880.
25.06.1895 São Gonçalo dos Campos Lei estadual que elevou a freguesia de São Gonçalo dos Campos de Cachoeira a Cidade.
11.09.1931 São Sebastião do Passé Fundação do Município de São Sebastião do Passé, ex-distrito do Município de São Francisco do Conde e ex-freguesia, criada por Alvará Régio de 11 de abril de 1718.
23.05.1935 Salvador Fundação do Yacht Clube da Bahia, que sediou-se à beira da Baía de Todos os Santos.
07.11.1961 Simões Filho Lei 1538 que criou o Município de Simões Filho, ex-distrito de Água Comprida, do Município de Salvador.
27.07.1962 Salinas da Margarida Aprovado projeto de lei que emancipou Salinas, desmembrando-o de Itaparica, logo se realizando eleições municipais (Outubro) e se instalando a Câmara de Vereadores (em 07.04.1963).
25.05.1996 Baía de Todos os Santos Regata Sesquicentenário da Capitania dos Portos reunindo duas centenas de veleiros (diversas classes e tipos) de todo o Recôncavoe e vencida (fita azul) pelo multicasco Odara nas piores condições de mar e vento.
EVENTOS
DATA LOCAL DESCRIÇÃO
02.05.2013 às 9:00 hs Salvador – Gabinete Português de Leitura Ato de abertura do Projeto BTS 2013, com lançamento deste Calendário BTS na Internet e anúncio da entrega anual do Prêmio Cabral dentro deste projeto.
02.05.2013 às 17:00 Salvador – Gabinete Português de Leitura Entrega do Prêmio Cabral 2013 ao Prof. Dr. Reitor Edgard Santos
15.05.2013 Salvador Apresentação da Camerata da Orquestra Sinfônica da Bahia, no Museu Carlos Costa Pinto, às 16 horas (Tel 71.3336-6081).
18.05.2013 Bahia Dia Internacional dos Museus. Visite os museus de sua cidade na 11ª Semana de Museus na Bahia (13 a 19 de maio)
Baía de Todos os Santos Continuação da Copa Aniversário de Vela, que se iniciou no dia 4 e terminará no dia 26, aos sábados e domingos,
25.05.2013 Baía de Todos os Santos Continuação da Copa Aniversário de Vela, que se iniciou no dia 4 e terminará no dia 26, aos sábados e domingos, comemorando o 78º aniversário do Yacht Clube da Bahia.
29.05.2013 Santo Antônio de Jesus Comemoração do aniversário do município.
27.07.2013 Baía de Todos os Santos Torneio Baía de Todos os Santos, de pesca, par lanchas de todos os tamanhos, promoção do Yacht Clube da Bahia, desde 2012
24.08.2013 Maragojipe Data da morte de São Bartolomeu.e da missa principal da Festa de São Bartolomeu, às 5 horas, na Igreja Matriz de São Bartholomeu. construída no século XVIII.
26.10.2013 à 01.11.2013 Salvador – Gabinete Português de Leitura IV Semana da Baía de Todos os Santos – Programa a ser anunciado em início de outubro de 2013
01.11.2013 Salvador – Igreja de São Pedro, na Piedade Missa festiva do Dia de Todos os Santos, fechando o IV Semana da Baía de Todos os Santos, do GLP

 


Crônica

A BTS e o Descobrimento do Brasil


Inscreva seu evento

Instruções

Ficha de Inscrição

Comissão de Registro

Selo