Monthly Archives: agosto 2017

SENTIMENTO PROFUNDO DE PESAR

By | Notícias | No Comments

A Direção do Gabinete Português de Leitura (Salvador, Bahia), apresenta as suas mais sentidas condolências a todos os que, direta ou indiretamente, foram vítimas, ou estiveram envolvidos na tragédia de “Mar Grande”.

Neste momento de pesar, não estamos a encontrar palavras à altura, para tentar expressar os nossos mais profundos sentimentos.

Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames.

Direção do Gabinete Português de Leitura

O Grande Terramoto de Lisboa – Reflexos Estéticos na Cidade da Bahia

By | Comunidade, Notícias | No Comments

A pedido da Dra. Nathalie Viegas, Consul Geral de Portugal na Bahia, somos a divulgar o seguinte evento:

«A Ordem Terceira Secular de São Francisco na Bahia, tem a satisfação de divulgar uma palestra intitulada “O Grande Terramoto de Lisboa – Reflexos Estéticos na Cidade da Bahia”, no próximo dia 31 de agosto, às 19 horas na sua Igreja Sede, onde se encontra um precioso acervo de azulejos portugueses do século XVIII, que retratam uma cidade de Lisboa que já não existe, uma vez que foi arrasada pelo terramoto de 1755

Consulado Geral de Portugal em Salvador, Bahia
Av. Tancredo Neves 1632, Ed. Salvador Trade Center
Torre Norte, Sala 109, CEP 41 820-020 – Salvador
Telefone: +55 71 3271-2354

Museu do Dinheiro

By | Agenda, Comunidade, Iniciativas, Parcerias | No Comments

O Museu do Dinheiro – inaugurado em abril de 2016 – está localizado na Baixa de Lisboa (Portugal), na antiga igreja S. Julião, e apresenta o tema do dinheiro, a sua história e a sua evolução, em Portugal e no Mundo.

Há muitas coisas para ver e fazer neste Museu: pode doar um testemunho, cunhar e imprimir moedas e notas virtuais com a sua cara, ver ao microscópio de que são feitas as notas, e ainda trocar, interagir e deixar-se inspirar por histórias de todo o mundo.


O Museu do Dinheiro conta ainda com uma diversificada programação cultural e educativa para todas as idades que, de forma original e pedagógica, permite envolver toda a família.

A Associação Portuguesa de Museologia (APOM), no dia 9 de junho, distinguiu o Museu do Dinheiro do Banco de Portugal como “Melhor Museu do Ano 2017”.


Para além do prêmio “Melhor Museu do Ano”, o Museu do Dinheiro foi ainda galardoado com uma menção honrosa na categoria de melhor website.

Os prêmios da APOM destinam-se a reconhecer os agentes e instituições de museologia portuguesa cujo trabalho se distinguiu ao longo do ano. São distribuídos por diversas categorias e têm como objetivo incentivar e premiar a imaginação e a criatividade dos museólogos portugueses, reconhecendo o seu contributo efetivo na melhoria da qualidade dos museus em Portugal, sendo também uma forma de dar visibilidade ao que de melhor se faz no âmbito da museologia no país.

Festa Literária Internacional de Cachoeira – Flica 2017

By | Agenda, Notícias | No Comments

A Festa Literária Internacional de Cachoeira irá acontecer de 5 a 8 de outubro de 2017, em Cachoeira (BA), com autores notáveis e programação infantil

A Festa Literária Internacional de Cachoeira já é um evento obrigatório no calendário de eventos literários do Brasil.

Esta edição (sétima), trará para o Recôncavo Baiano influentes nomes da literatura nacional e internacional, com programação, tanto para para adultos como para crianças.

À semelhança das edições anteriores, constam do programa debates literários, lançamento de livros, exposições, apresentações artísticas, contos de histórias e saraus.

Todos os anos, escritores de diversos matizes se reúnem para debater e interagir com o público, que tem acesso gratuito a todas as atrações do evento. Política, música, biografias, religião e principalmente literatura de ficção, a criação literária, são temas presentes nas mesas de debate da FLICA.

Este ano, Ruy Espinheira Filho será o homenageado. Autor de mais de 20 livros, recebeu diversos prêmios, como o Nacional de Poesia Cruz e Sousa, Nestlé, Ribeiro Couto, da União Brasileira de Escritores, de Poesia da Academia Brasileira de Letras, Portugal Telecom, Rio de Literatura, além de ganhar o Jabuti. Tem contos e poemas em diversas antologias publicadas no Brasil e no exterior (Portugal, Itália, França, Espanha e Estados Unidos).

Para esta edição, já foram confirmados nomes como Maria Valéria Rezende, Franklin Carvalho, Ricardo Lísias e Daniela Galdino, além dos mediadores Milena Britto, Wesley Correia e Mônica Menezes. Entre as mesas que foram idealizadas estão “Memória, obsessões e outras matérias-primas da ficção”, “Intervenções, agitações e desvarios” e “A poesia em suas infinitas estações”.

Nas seis últimas edições, nomes internacionais como Pepetela (Angola, 2013), Gonçalo M. Tavares (Portugal, 2014), Sapphire (EUA, 2015), Matei Vişniec (Romênia, 2014), Uzodinma Iweala (EUA/Nigéria, 2012), Javier Moro (Espanha, 2012), Juan Gabriel Vásquez (Colômbia, 2016), Helon Habila (Nigéria, 2015) e Kiera Cass (EUA, 2013) estiveram no espaço do Claustro da Ordem Terceira, sede dos debates.

Do Brasil, já se apresentaram na Flica estrelas literárias como Ana Maria Machado (2016 e 2014), Martha Medeiros (2015), Mary Del Priore (2016), Cristovão Tezza (2013), Laurentino Gomes (2013), Milton Hatoum (2016), Antonio Prata (2016), Xico Sá (2012), Conceição Evaristo (2016), Fabrício Carpinejar (2013) e Marcia Tiburi (2012).

Não faltaram nomes baianos, como Mãe Stella de Oxóssi (2014), Antônio Torres (2015), João José Reis (2012), Ubiratan Castro (2011), Hélio Pólvora (2011), Ruy Espinheira Filho (2012), Capinan (2012), Jaime Sodré (2012), Ordep Serra (2012) e Makota Valdina (2013).

Uma novidade deste ano será a curadoria. O escritor e jornalista Tom Correia assume este ano a função que foi ocupada, em 2016, por Emmanuel Mirdad, um dos idealizadores e coordenador geral da Flica.

Autor de quatro livros individuais de contos e com participação em várias coletâneas, Tom iniciou sua trajetória ao vencer o Prêmio Braskem de Literatura, com “Memorial dos medíocres”. Com diversos trabalhos em jornalismo literário, sua relação com a Flica surgiu desde a primeira edição. Em 2013, ele foi um dos autores convidados e, no ano seguinte, mediou uma mesa.

Há sempre espaço para as crianças. Livros e brincadeiras criam um universo lúdico para a Fliquinha, um espaço literário direcionado aos pequenos. A curadoria é de Lília Gramacho e Mira Silva, que já estão no posto há cinco anos.

Aos amantes da literatura de todas as idades e gostos, a Flica é um espaço para contemplar o mundo das letras, sendo um dos maiores eventos literários do país. As mesas de debate ocorrem, desde a primeira edição, no já mencionado Claustro, enquanto a Fliquinha tem lugar no Cine-Theatro Cachoeirano, outro prédio tombado pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Parte da programação acontece no Espaço Educar para Transformar, localizado em frente à Câmara Municipal de Cachoeira. Lá, o público pode participar de diferentes atividades, como lançamento de livros, exposições, apresentações artísticas, “contação” de histórias e saraus.

O Governo do Estado da Bahia apresenta a Flica 2017. O projeto é realizado pela Cali e Icontent e tem patrocínio do Governo do Estado, por meio do Fazcultura, e apoio do Hiperideal, da Prefeitura Municipal de Cachoeira e da Coelba.

Fonte FLICA

Calçada Portuguesa

By | Comunidade, Notícias | No Comments

A calçada portuguesa resulta do calcetamento com pedras de formato irregular, geralmente em calcário branco e negro, que podem ser usadas para formar padrões decorativos ou mosaicos pelo contraste entre as pedras de distintas cores.


Em Portugal, os trabalhadores especializados na colocação deste tipo de calçada são denominados mestres calceteiros.

A inspiração vem dos mosaicos romanos, mas a tradicional calçada portuguesa nasceu em Lisboa durante a reconstrução da cidade após o terramoto de 1755. Tudo começou com o padrão ondulado no Rossio, e obras semelhantes logo se espalharam por toda a capital, para outras cidades portuguesas, para o Brasil, Macau e outras colônias portuguesas.


A calçada portuguesa tornou-se, assim, um dos cartões de visita de Lisboa. Com uma enorme responsabilidade na criação da luz única da cidade, já que reflete de forma intensa toda a luminosidade que recebe, é também um dos elementos mais antigos da capital. Tem elementos geométricos, figurativos ou específicos, de acordo com os espaços e os gostos do momento em que foi colocada.

NOTA DE PESAR

By | Notícias | No Comments

A Direção do Gabinete Português de Leitura (Salvador, Bahia), apresenta humildemente as suas sentidas condolências a todos os familiares e amigos que, direta ou indiretamente, foram vítimas, ou estiveram envolvidos nas tragédias da Ilha da Madeira (Portugal) e de Freetown (Serra Leoa).

Neste momento de pesar, não estamos a encontrar palavras à altura, para tentar expressar os nossos mais profundos sentimentos.

Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames.

Direção do Gabinete Português de Leitura

MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

By | Comunidade, Notícias | No Comments

 

É a nova proposta cultural para a cidade de Lisboa. Um museu que cruza estas três áreas num espaço de debate, de descoberta, de pensamento crítico e de diálogo internacional.

O MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia é a nova proposta cultural para a cidade de Lisboa. Um museu que cruza estas três áreas num espaço de debate, de descoberta, de pensamento crítico e de diálogo internacional.

Um projeto inovador que coloca em comunicação um novo edifício, desenhado pelo atelier de arquitetura Amanda Levete Architects, e a Central Tejo, um dos exemplos nacionais de arquitetura industrial da primeira metade do século XX, e um dos polos museológicos mais visitados do país. O MAAT traduz a ambição de apresentar exposições nacionais e internacionais com o contributo de artistas, arquitetos e pensadores contemporâneos. Refletindo sobre grandes temas e tendências atuais, a programação apresentará ainda diversos olhares curatoriais sobre a Coleção de Arte da Fundação EDP.

Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

By | Parcerias | No Comments

As novas regras do Acordo Ortográfico passam a ser obrigatórias a partir de 13 de maio de 2015, dia em que terminou o período de transição.

O Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa (VOC) é a plataforma que alberga os instrumentos que determinam legalmente a ortografia da língua portuguesa. Foi oficialmente reconhecido pelos Estados-Membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) na X Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, que teve lugar em julho de 2014 em Díli.

ACORDO-LINGUAPORTUGUESA-500x331

Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa
Brasil

VOLP: Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, 6.ª edição

A Academia Brasileira de Letras tem com a Academia das Ciências de Lisboa uma longa tradição lexicográfica que começa em 1933 com o Vocabulário Ortográfico e Ortoépico da Língua Portuguesa e se prolonga nas sucessivas edições do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), desde sua primeira edição em 1943.
Um Vocabulário Ortográfico – ao arrolar, com base em acervos de língua escrita, as palavras correntes na sua forma ortográfica oficial – é um instrumento fundamental para a gestão da ortografia da língua. Mas é importante não só por ser a referência da ortografia vigente, como também por poder servir de base para a elaboração dos dicionários gerais da língua.

Com o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 fez-se necessário atualizar o VOLP – o que foi feito pela ABL na sua 5.ª edição (2009) – e também elaborar o Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa (VOC) com dois objetivos fundamentais: listar as formas ortográficas autorizadas pelo Acordo Ortográfico (que admitiu, para alguns casos, formas ortográficas facultativas), e congregar o acervo de palavras correntes nos diversos países de língua oficial portuguesa (considerando que o Acordo Ortográfico unificou as normas ortográficas da língua, superando a pluralidade até então existente). Para a elaboração do VOC, a ABL cedeu, oficialmente, sua base lexicográfica que, depois de tornada compatível com o sistema usado no VOC, passou por um amplo processo de validação por meio do cruzamento de seus dados com várias outras fontes lexicográficas, entre as quais o Vocabulário Ortográfico Português (VOP), o corpus lexicográfico do Núcleo Interinstitucional de Linguística Computacional da USP/ São Carlos – NILC (que serve de base ao corretor ortográfico do Microsoft Office do Brasil) e o Corpus Brasileiro (Berber Sardinha da PUCSP).

O resultado foi uma nova edição do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa que passou, então, a integrar o VOC. Nesta feição apresenta outras vantagens, porque todas as palavras arroladas foram devidamente validadas, além de agregar novas informações, tais como a divisão em sílabas, a marcação da sílaba tônica, o paradigma flexional, relações funcionais com outras entradas (especificamente com palavras morfologicamente relacionadas), bem como índices de frequência.

Deste modo, esta edição do VOLP representa um significativo avanço no registro lexicográfico brasileiro e, por isso, se reveste de grande importância como fonte segura de consulta para os especialistas e para o público em geral.

Ao mesmo tempo, estando integrado ao VOC, o VOLP contribui para este valioso instrumento que, agregando os Vocabulários Nacionais de todos os países de língua oficial portuguesa, serve não só de referência lexicográfica para toda a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, como também permite uma gestão efetivamente conjunta da ortografia da língua.

Carlos Alberto Faraco e Evanildo Bechara

Membros representantes do Brasil no Corpo Internacional de Consultores do VOC
Como citar esta obra:
Bechara, Evanildo (coord.) (2017). Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. 6.ª edição. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras.

Fonte: Camões, I.P.

Regulamento para a apresentação de propostas de projetos

By | Documentação | No Comments

Regulamentos

Regulamento para a apresentação de propostas de projetos, cursos, oficinas e outro tipo de eventos, de âmbito exclusivamente cultural, com a finalidade de promover ações culturais de abrangência local, regional, nacional ou internacional.

Porque cada projeto é único no conteúdo e no tempo, este pretende regular a apresentação de propostas de âmbito cultural que possam ser apresentadas ao Gabinete Português de leitura.

DO OBJETIVO

Resolve a entidade Gabinete Português de Leitura, receber propostas de pessoas ou de outras entidades, promover e ou ajudar a promover, realizar ou ajudar a realizar, eventos de âmbito exclusivamente cultural, seja através de cursos, oficinas, palestras, debates, exposições amostras, leituras (etc.), em sua sede, ou fora dela, com a finalidade de promover ações culturais, destinados aos seus associados e ao público em geral, contribuindo dessa forma para o fomento do desenvolvimento cultural de Salvador.

DA PROPOSTA

Deverá ser mostrado um resumo geral do projeto, buscando mostrar as ações a serem desenvolvidas, de que forma (método) e em que contexto. A apresentação deve ser clara, concisa, e precisa dar a noção da relevância do projeto e os impactos de sua realização, o porquê das ações previstas e os motivos dos métodos propostos, pelo que sugerimos, por exemplo:

  1. Apresentar um resumo, onde conste a estrutura e contextualização da ideia básica desse projeto;
  2. Demonstrar a vantagem da sua concepção;
  3. Desenvolver a proposta conceitual e artística;
  4. Objetivar o público alvo que se pretende atingir positivamente nessas ações;
  5. Apresentar uma programação do período ou do número de sessões que pretende realizar para alcançar o seu objetivo;
  6. Identificar os recursos humanos envolvidos;
  7. Elaborar um plano de divulgação;
  8. Elaborar um eventual orçamento.

O que se evidencia neste, é o de chamar à atenção para que, na apresentação de cada projeto, estejam mencionados todos os itens que compõem o seu conjunto, bem como, o de fornecer a esta entidade, todos os elementos que entenda por necessários para a sua análise de oportunidade.

DOS SEUS PROPONENTES

Podem ser proponentes, quaisquer pessoas que tenham propostas consideradas de interesse relevante, e objetivamente, enquadradas nas seguintes linhas mestras:

  • Audiovisual;
  • Artes cênicas, visuais e do corpo;
  • Formação, patrimônio e memória.
  • Leituras públicas de livros;
  • Música;
  • Reflexões Filosóficas;
  • E outros, que a Direção deste Gabinete, possa entender como de relevante efeito cultural.

DO MOMENTO PARA O EVENTO

Após a proposta ser entregue para análise, por quem a Direção assim o determinar, e no caso dessa proposta ser deferida – no todo ou em parte – fica determinado que o evento poderá ser realizado, seja na sua forma pontual ou regular, durante o período de funcionamento do G.P.L., desde que essa atividade não possa entrar em conflito com quaisquer outras, ou que, na decorrência do seu agendamento, por determinação da própria Direção do GPL, possa ter que ocorrer algum outro evento que pontualmente, se releve mais pertinente para aquela Direção.

DA AVALIAÇÃO

Para se inferir do impacto do projeto, é necessário realizar uma avaliação consistente. Avaliar o projeto por meio de monitoramento constante e análises, é fundamental para:

  • Validação das metas/resultados alcançadas;
  • Aferição dos objetivos propostos;
  • Continuidade do projeto;

Por mais simples que seja o projeto, é possível realizar o seu monitoramento e a sua avaliação, porque o seu acompanhamento e o monitoramento:

  • Permite verificar se estamos no caminho dos objetivos propostos.
  • Serve para indicar mudanças de percurso, o que pode significar melhor aproveitamento dos recursos (humanos, físicos, etc.), economia e necessidade de readequações.
  • Baliza avaliações finais, ao contribuir para a aquisição de dados quantitativos e qualitativos.

DO RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO

Cada relatório, deve conter tópicos que ajudem o G.P.L. a compreender as etapas de realização do projeto e o alcance das suas ações, de acordo com o que foi proposto inicialmente.

Alguns tópicos são fundamentais de serem mensurados e analisados:

  1. Impactos gerados/resultados (de acordo com os objetivos propostos e seus indicadores);
  2. Público atendido;
  3. Eventuais demonstrações financeiras (custos e ou receitas);
  4. Comunicação;
  5. Equipe envolvida;
  6. Desdobramentos e continuidade.

A realização de pesquisas de opinião junto aos diversos agentes envolvidos no projeto traz elementos para a construção e sistematização de informações que contribuem para uma análise minuciosa dos resultados. Essas informações são valiosas e devem ser coletadas durante o período de realização do projeto (acompanhamento e monitoramento).

DOS CASOS OMISSOS

As dúvidas e omissões referentes a este regulamento e sua atividade proposta serão resolvidas pela Diretoria de Cultura e em grau de recurso pela Diretoria do Gabinete Português de Leitura.

Contatos e inscrições:
GABINETE PORTUGUÊS DE LEITURA
Praça da Piedade s/n – Salvador – Bahia – CEP 40070-010
gplsalvador@gmail.com
Tel 71 3329-3060

Pensamentos e Sentimentos

By | Iniciativas, Newsletter, Parcerias | No Comments

A cultura é o que identifica um povo com a sua finalidade.
Augustina Bessa-Luís

Interrogado sobre a diferença existente entre os homens cultos e os incultos, disse: ‘A mesma diferença que existe entre os vivos e os mortos’.
Aristóteles

Num mundo culto temos uma conduta florida, e num mundo inculto temos discursos floridos.
Confúcio

A cultura é o modo avançado de se estar no Mundo, ou seja a capacidade de se dialogar com ele.
Virgílio Ferreira

O que é que a cultura pretende? Tornar o infinito compreensível.
Umberto Eco

As culturas sobrevivem enquanto se mantiverem produtivas, enquanto forem sujeito de mudança e elas próprias dialogarem e se mestiçarem com outras culturas.
Mia Couto

Homem culto é aquele que, de tudo a que assiste aumenta, não os seus conhecimentos, mas o seu estado de alma.
Fernando Pessoa

O livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive.
Padre António Vieira

Pela grossura da camada de pó que cobre a lombada dos livros de uma biblioteca pública pode medir-se a cultura de um povo.
John Steinbeck

Os livros são abelhas que levam o pólen de uma inteligência a outra.
James Lowell

Todos os bons livros se parecem: são mais reais do que se tivessem acontecido de verdade.
Ernest Hemingway