Monthly Archives: agosto 2020

Elsimar Coutinho deixou-nos mais órfãos

By | Notícias | No Comments

A Direção do Gabinete Português de Leitura da Bahia, vem – através deste – manifestar publicamente as suas sentidas condolências pelo desaparecimento do médico e cientista baiano Elsimar Coutinho, que faleceu nesta segunda-feira, dia 17 de agosto, vítima de complicações da Covid-19.

Este especialista em reprodução humana foi galardoado em 2014 com o Prêmio Cabral, honraria promovida por este Gabinete Português de Leitura e entregue pelo professor e infectologista da UFBA, Roberto Badaró.

Nascido em 1930 em Pojuca (interior da Bahia), Coutinho é autor de mais de dez livros, e tem centenas de trabalhos científicos publicados em revistas especializadas. O médico também foi presidente da Sociedade Brasileira de Ginecologia Endócrina, primeiro vice-presidente da Academia de Medicina da Bahia, Presidente do Centro de Pesquisas e Assistência em Reprodução Humana (Ceparh) e da Sociedade Baiana de Climatério, chegando a integrar dezenas de entidades de pesquisas médicas no Brasil e no estrangeiro.

Formado em farmácia e bioquímica pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), concluiu o curso de medicina na mesma instituição e concretizou a sua pós-graduação em Endocrinologia, na Universidade de Sorbonne, em Paris (França) e, no Instituto Rockfeller, em Nova York (EUA).

Como professor e pesquisador da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia, após observar pela primeira vez os efeitos da supressão da menstruação, o médico desenvolveu a criação do primeiro anticoncepcional injetável de uso prolongado.

Elsimar Coutinho também desenvolveu uma série de medicamentos que vão desde fármacos para facilitar a gravidez até outros que impedem o parto prematuro e aborto espontâneo, além de tratamentos de contracepção e de reposição hormonal em homens e mulheres, além da criação do Centro de Pesquisa e Reprodução Humana – CEPARH, referência em reprodução humana.

À família, amigos, à comunidade cientifica e a todos os baianos, apresentamos os nossos profundos sentimentos.

Gabinete Português de Leitura da Bahia

Bartholomeu de Gusmão ganha homenagem no GPL

By | Notícias | No Comments

Na próxima quarta-feira (5) de agosto, às 16 horas, no canal do youtube.com/ighbba, o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia e o Gabinete Português de Leitura prestam uma homenagem ao padre Bartholomeu Lourenço de Gusmão, inventor do aeróstato (balão de ar quente).  Participarão do encontro, o presidente do IGHB, Eduardo Morais de Castro, o presidente do GPL, Abel Travassos e o idealizador do Memorial ao Padre Bartholomeu Lourenço de Gusmão, Adinoel Motta Maia (que falará sobre a importância científica da contribuição do padre para a tecnologia e a ciência da aerostação e aeronáutica).

Em agosto de 2019, o IGHB, o GPL e a Paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Cachoeira inauguraram um memorial do padre Bartholomeu Lourenço de Gusmão, em Belém de Cachoeira. O espaço constitui um registro histórico-geográfico-religioso, além de um instrumento de apoio a pesquisa e estudo tecnológico e científico para a população da região, turistas e estudiosos de todo o Brasil.

O padre voador Bartholomeu Lourenço, de nacionalidade então portuguesa e hoje brasileira, nasceu em 1685, na então Rua Santo Antonio – hoje Rua do Comércio – na cidade de Santos, em São Paulo. Era o quarto filho do português Francisco Lourenço e da brasileira Maria Álvares.

Foi levado para Belém de Cachoeira, na igreja do mesmo seminário ao qual chegou e onde cresceu, sob a proteção do padre Alexandre de Gusmão (sobrenome que seria acrescentado por Bartholomeu ao seu nome, quando viveu em Lisboa e Coimbra). 

Durante a sua educação, em Belém, ele concebeu um sistema de elevação da água, do Riacho existente no vale, até o topo do Seminário e realizou experiências com um objeto esférico cheio de ar com uma entrada de calor (fogo); assim, criando o balão. Levou este aeróstato para Portugal e com o apoio do Rei, realizou, em 1709, a experiência do primeiro voo oficial, com a presença do Cardeal representante do Vaticano e dos embaixadores dos países que tinham relação com Lisboa.

Ele estudou na Universidade de Coimbra, concluiu a Faculdade de Cânones e passou a dedicar-se a pesquisas técnico-científicas nos campos da aerostação, criptografia, hidráulica, história, literatura, matemática e teologia, relacionando-se com entidades da Holanda, Inglaterra e França.

Bartholomeu morreu em 19 de novembro de 1724, em Toledo, na Espanha, aos 38 anos. É o patrono do Serviço de Assistência Religiosa da Aeronáutica, que o considera um dos precursores da aviação.