Categoria: Notícias

GPL participa de inauguração do Consulado Geral de Portugal

By | Notícias, qq coisa | No Comments

A diretoria do Gabinete Português de Leitura participou, na tarde de ontem (26.5), da inauguração oficial do Consulado Geral de Portugal em Salvador. O espaço funciona agora no nono andar do Centro Empresarial Vitraux, na Avenida Garibaldi.

A solenidade, aberta pelo cônsul-geral de Portugal na Bahia, Jorge Fonseca, contou as presenças do secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, e do embaixador de Portugal no Brasil, Luis Faro Ramos, além de convidados da comunidade portuguesa na Bahia. Todos os protocolos de prevenção à Covid-19 foram obedecidos.

Representaram o Gabinete Português de Leitura da Bahia o presidente, Rodrigo Leitão; o vice-presidente, Daniel Bento; o diretor de Patrimônio, Abel Travassos; e o diretor de Cultura, Flávio Novaes.

O novo consulado traz mais comodidade para a prestação de serviços. O número de guichês foi ampliado de três para cinco, distribuídos em um grande salão, com o objetivo de atender a grande demanda, sempre em crescimento nos últimos anos, principalmente para pedidos de vistos de estudos e de nacionalidade.

Na imagem, da esquerda para a direita: secretário Eurico Dias, embaixador Luís Faro e o cônsul Jorge Fonseca.

Foto: Flávio Novaes

GPL comemora aniversário com tour virtual em formato 360º

By | Notícias, qq coisa | No Comments

Baianos e visitantes terão oportunidade de conhecer, através de uma visita virtual no formato 360º (http://www.bahiaview360.com.br/gplsalvador/), uma das instituições culturais mais importantes do Estado – o Gabinete Português de Leitura. Fundado em 2 de março de 1863, e com sede localizada na Praça da Piedade, o edifício neo-manuelino possui uma beleza arquitetônica que resgata grande parte da tradição lusitana na era dos descobrimentos.

Durante o passeio, o público vai ter a oportunidade de contemplar, além da fachada monumental, instalações como a Biblioteca Infante D. Henrique, composta por obras de diversas áreas do conhecimento, principalmente sobre História, Geografia e Literatura de Portugal e países de língua portuguesa, o Auditório Professor Agostinho da Silva, Salão Nobre (com rico acervo de pinturas), um Vitral (Peça manufaturada em 1921, em Paris, doado por um anônimo, na qual se reproduz o quadro do pintor Victor Meirelles, que retrata a celebração da primeira missa no Brasil, em Santa Cruz de Cabrália, no ano de 1500), e o Salão de Exposições (que acolhe a mostra “Réplica de barcos que acessaram a Baía de Todos-os-Santos”, construídos à mão pelo engenheiro naval José Nunes da Silva.

A programação do projeto ainda apresenta cursos de Gramática e Redação, Língua Iorubá e Metodologia da Pesquisa, restauração e higienização de obras raras, além de lançamentos de livros, encontros virtuais com escritores e pesquisadores brasileiros e portugueses, e exposições ligadas às relações culturais luso-brasileiras. A programação completa pode ser acessada no site www.gplsalvador.org e nas redes sociais do GPL.

O projeto recebe apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Inscrições abertas para o curso de Gramática e Redação

By | Notícias | No Comments

O Gabinete Português de Leitura está com inscrições abertas para o curso de Gramática e Redação, no formato on-line (via plataforma zoom). A iniciativa integra as ações do projeto “Gabinete Português de Leitura – a cultura portuguesa viva na Bahia” (Programa Aldir Blanc Bahia/via Lei Aldir Blanc/Secult-BA/Ministério do Turismo, Governo Federal).

As aulas, que serão ministradas pela professora Alessandra Nascimento, terão início dia 16 de março e se estendem até 15 de abril, sempre às terças e quintas, das 14h30 às 16h30, com carga horária de 20 horas (e direito a certificação).

A proposta é revisar as regras de redação oficial e de concordâncias nominal e verbal, a fim de sanar as dúvidas existentes sobre o uso adequado da língua portuguesa no momento. No curso ainda será abordado em Gramática, questões como: fonologia, morfologia, sintaxe, figuras, de linguagem, tópicos de linguagem, significação das palavras. No tocante à Redação, serão trabalhados o planejamento textual, redação em textos narrativos, dissertativos, descritivos, jornalísticos, a linguagem, dentre outros.

Além da presença virtual nas aulas será solicitada aos participantes a apresentação escrita de um texto em formato redacional como atividade final avaliativa com tema a ser apresentado no decorrer das aulas.

O investimento de R$ 50,00 (cinquenta reais) é simbólico, para manutenção das atividades culturais do GPL. Link de inscrição no site www.gplsalvador.org ou no www.sympla.com.br (https://www.sympla.com.br/curso-de-gramatica-e-redacao-on-line-promovido-pelo-gabinete-portugues-de-leitura__1120107).

 Sobre a Instrutora: 

Alessandra Nascimento é bacharel em comunicação social e tem licenciatura em formação pedagógica, mestrado em Relações Comerciais Internacionais e especialista pós-graduada em Metodologia do Ensino de História e Cultura; Tutoria em Educação à Distância e Docência do Ensino Superior e Gestão de Projetos. Tem experiência em sala de aula por ministrar cursos profissionalizantes e experiência fora do país como professora de língua portuguesa quando morou na Argentina (2014 a 2016). Na época ensinava empresários e profissionais liberais. A professora também trabalha com cursos EAD tendo reconhecida experiência na geração de conteúdos, prestando serviços como profissional conteudista para grupos nacionais como DTCOM; Uniasselvi; Abracomex; Sagah; Delinea; dentre outras.

Saiba Mais:

De acordo com dados do Inaf (Indicador de Alfabetismo Funcional), realizado pelo Instituto Paulo Montenegro em parceria com a ONG Ação Educativa, de 2016, apenas 22% dos brasileiros que chegam à universidade são plenamente alfabetizados. Uma pesquisa conduzida pela Universidade Católica de Brasília, em que mais de 50% dos cerca de 800 universitários avaliados sofrem com o analfabetismo funcional, ou seja, não conseguem compreender o que leem.

Tais estatísticas chamam atenção para os desafios que estudantes têm na compreensão da língua portuguesa. A constatação desse fato reverbera em toda a vida universitária e pós universitária de uma geração de brasileiros que encontram dificuldades com a própria língua.

  • Confira o conteúdo programático:
  • Unidade 1
  • 1.1 História da língua portuguesa
  • 1.2 Encontros vocálicos, consonantais e dígrafos
  • 1.3 Divisão silábica
  • 1.4 Significação das palavras
  • 1.5 Acentuação
  • 1.6 Fonética
  • 1.7 Ortografia
  • 1.8 Treino Ortográfico
  • Unidade 2
  • 2.1 Gênero dos substantivos
  • 2.2 Número dos substantivos
  • 2.3 Substantivos coletivos
  • 2.4 Adjetivos
  • 2.5 Pronomes
  • 2.6 Plural das palavras compostas
  • 2.7 Plural dos substantivos compostos
  • 2.8 Plural dos adjetivos compostos
  • Unidade 3
  • 3.1 Palavra
  • 3.1.2 Introdução ao verbo
  • 3.1.3 Verbos regulares
  • 3.1.4 Particularidades dos verbos
  • 3.1.5 Verbos defeituosos
  • 3.1.6 Verbos abundantes
  • 3.1.7 Verbos auxiliares
  • 3.1.8 Verbos anômalos
  • 3.2 Preposição
  • 3.3 Advérbios
  • 3.4 Palavras denotativas
  • Unidade 4
  • 4.1 Prefixos
  • 4.2 Sufixos
  • 4.3 Radicais
  • 4.4 Processo de formação das palavras
  • 4.5 Elementos estruturais
  • 4.6 Particularidades da língua
  • 4.7 Crase
  • Unidade 5
  • 5.1 Termos essenciais da oração
  • 5.2 Predicação verbal e termos integrantes da oração
  • 5.3 Termos acessórios da oração
  • 5.4 Vocativo
  • 5.5 Período simples e período composto
  • 5.6 Esquema para análise de períodos
  • 5.7 Período composto por coordenação
  • 5.8 Período composto por subordinação
  • 5.8.1 Orações subordinadas adjetivas
  • 5.8.2 Orações subordinadas adverbiais
  • 5.8.3 Orações subordinadas substantivas
  • 5.9 Orações reduzidas
  • Unidade 6
  • 6.1 Pontuação
  • 6.2 Colocação dos pronomes átonos
  • 6.3 Regência verbal
  • 6.4 Regência nominal
  • 6.5 Concordância nominal
  • 6.6 Concordância especial
  • 6.7 Concordância verbal
  • 6.8 Vozes do verbo
  • 6.9 Funções do “que”
  • 6.10 Funções do “se”
  • 6.11 Figuras de linguagem
  • Unidade 7
  • 7.1 O que é uma redação;
  • 7.2 Estudo de texto;
  • 7.3 A estrutura da argumentação;
  • 7.4 Conhecendo tipologia e gêneros textuais;
  • 7.5 Analisando textos;
  • 7.6 Leitura e intertextualidade;
  • 7.7 Expressões de estilo e as principais mudanças ortográficas;
  • 7.8 Redigindo um texto e criando um texto;
  • 7.9 Tipologia textual;
  • 7.10 Temas para redações – Redação de Textos Livres (Cartas, poesia) e Redação de textos formais. (Solicitação de emprego, Entrevistas, Agradecimentos e Queixas;
  • 7.11 Orientações básicas sobre o ato de escrever Ambiguidade Emprego dos Pronomes de Tratamento.
  • 7.12 Concordância com os Pronomes de Tratamento;
  • 7.13 Texto e hipertexto – A escrita na web;
  • 7.14 Exercícios de fixação do conteúdo apresentado

Bibliografia:

CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Conecte: gramática reflexiva. 2. ed. – Coleção Projeto Conecte. São Paulo: Saraiva, 2013.

ABREU, Antônio Suárez. Gramática Integral da Língua Portuguesa: Uma Visão Prática e Funcional. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2018.

BECHARA, Evanildo. Bechara para concursos: ENEM, vestibular e todo tipo de prova de Língua Portuguesa. – 1. ed. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2019.

BECHARA, Evanildo, Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. E atual. conforme o novo Acordo Ortográfico. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa – Novo Acordo Ortográfico – 48ª Ed. 2009. Companhia Editora Nacional.

 

GPL apresenta calendário de atividades para 2021

By | Notícias, qq coisa | No Comments

O projeto “Gabinete Português de Leitura – a cultura portuguesa viva na Bahia” vai promover, entre os meses de fevereiro e novembro deste ano, diversas atividades culturais entre palestras, cursos, seminários, exposições, além de um tour virtual 360º (com instalações e dados sobre o acervo da instituição). Dentre as principais ações que integram a proposta estão a restauração e a higienização de obras raras pertencentes à Biblioteca Infante D. Henrique.

Todo o processo será apresentado em um documentário, que abordará o legado histórico cultural das obras e sua importância histórica para a Bahia, Brasil e Portugal. Segundo o presidente do Gabinete Português de Leitura, Abel Travassos, a iniciativa é mais uma ação para preservar o acervo e a história da instituição. “São mais de 150 anos movimentando a cultura da cidade, sempre unindo baianos e portugueses”, destaca. 

Coordenada pela jornalista e pedagoga Alessandra Nascimento, a iniciativa tem vasto cronograma de ações. A partir de fevereiro serão oferecidos cursos de Redação e Gramática, Metodologia da Pesquisa Científica, Lições de Língua Iorubá-Nagô para Iniciantes e dois importantes seminários: um em homenagem ao padre Bartholomeu Lourenço de Gusmão, inventor do aeróstato (balão de ar quente) e outro comemorativo a Semana Baía de Todos os Santos (para ampliar os estudos sobre a baía e o seu recôncavo). Também integram a agenda lançamentos de livros, encontros virtuais com escritores e pesquisadores brasileiros e portugueses, e exposições ligadas às relações culturais luso-brasileiras. A programação completa pode ser acessada no site www.gplsalvador.org  e nas redes sociais do GPL.

O Gabinete Português de Leitura é uma das instituições culturais mais importantes do Estado. Fundado em 1863, e com sede localizada na Praça da Piedade, o edifício neo-manuelino possui uma beleza arquitetônica que resgata grande parte da tradição lusitana na era dos descobrimentos. Tem por finalidade a promoção da cultura de expressão portuguesa nas suas mais variadas formas. Atualmente abriga, no Centro de Estudos Portugueses – Casa Fernando Pessoa, o maior número de obras raras de reconhecida utilidade, escritas no idioma português, com obras também em francês, inglês, espanhol, italiano e alemão. Além de ser uma instituição filantrópica, é pioneira no Estado na criação do Escritório de Investigação e Memória dos Transportes na Baía de Todos os Santos.

O projeto recebe apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Cultura e Ciência

By | Notícias | No Comments

Quis a Santa Coincidência, que a data comemorativa do nascimento de Rui Barbosa caísse como uma luva na necessidade de fecharmos a Semana da BTS, mormente porque passou a ser oficialmente o Dia da Cultura, no Brasil. Há um discurso que procura separar a cultura da ciência, mas a História é cultura e é ciência do mesmo modo, não podemos (devemos) tratar da Baía de Todos os Santos sem essa visão de duplo sentido – dupla direção e duplo senso – assim encarando o seu universo sobretudo geográfico-histórico com a perspectiva espaço-temporal, sem a qual não há Cultura e evidentemente, não há Ciência.

CULTURA E CIÊNCIA NA BTS

Podemos começar com uma pergunta: quão pobre/quão rica é a paisagem cultural ou científica nos municípios sob a influência da Baía de Todos os Santos e seus rios afluentes? Poderíamos enumerar um elenco de atividades, desde as artísticas e as desportivas até as científicas e tecnológicas que se encaixam nesse conjunto chamado CULTURA.

Fazer ciência também pode ser uma atividade cultural, na medida em que o cientista, sendo um pesquisador, não sendo profissional, será amador e assim, fará ciência como cultura. Poderíamos passar meses e anos a falar de cientistas amadores, cultivando, por exemplo, a botânica em seu jardim ou a astronomia no telhado da sua casa. Podemos provocar aqui e agora uma dona-de-casa que enfeita o seu living com algumas plantas e perguntar a ela se – além do nome popular do que coloca nos seus vasos com terra ou com água – ela sabe mais alguma coisa sobre esse vegetal. Este é um assunto que poderia virilizar nas redes sociais? No fundo, o que estamos provocando é a necessidade de fazer as coisas culturalmente, isto é, com a consciência do que se faz e que pode enriquecer muito a vida individual e social nestas terras da Baía de Todos os Santos e dos rios que fluem na sua direção.

Correção de um erro

By | Notícias | No Comments

A humildade é a maior virtude de um ser humano, porque o aproxima dos anjos. A Baía de Todos-os-Santos foi descoberta em fins de abril de 1500 por Gaspar de Lemos, subindo de volta para Portugal, levando a carta de Pero Vaz de Caminha para o Rei D. Manuel, com a missão de bordejar aquela “ilha”, sem ter a menor ideia do seu tamanho, mas tomando nota de tudo o que fosse observado e já estudando astronomicamente a rota para uma nova missão. Em 01 de novembro de 1501, apenas ocorreu a sua posse, pela expedição montada em Portugal que lhe deu o nome.

Isto significa que devemos alterar o dia de festa da nossa Baía de Todos-os-Santos? Não, necessariamente, mas já é necessário corrigir o motivo dessa comemoração, que não é o da sua descoberta e sim, o da solenidade de posse, para a qual o Rei D. Manuel mandou três barcos com o que havia de melhor entre os navegadores a seu serviço. Esta Semana da BTS continua, portanto, mantendo a data de 1º de novembro, mas não como a da descoberta e sim a da sua confirmação com a posse das novas terras do Brasil, dias antes descoberto por Pedro Álvares Cabral, em viagem para as Índias.

Esta é a proposta da Ciência e este é o propósito dos cientistas, voltados para a frieza dos fatos e dos números, mas não proibidos de festejar com emoção os bons resultados de suas pesquisas, seus trabalhos e (por que não?) de suas aventuras.

Assim, por obrigação científica, é necessário levar para todos a informação precisa e oficial de ser a Baía de Todos os Santos descoberta em  abril de 1500 por Gaspar de Lemos, tendo em 1º de novembro de 1501, DIA DE TODOS-OS-SANTOS, a confirmação de sua posse pelo REI DE PORTUGAL, assim sendo iniciada a sua ocupação, dando ao seu entorno o destino de ser o centro de poder de Portugal no Brasil recentemente descoberto em Porto Seguro por Pedro Álvares Cabral.

Adinoel Mota Maia

O tamanho da baía

By | Notícias, qq coisa | No Comments

Apesar dos inúmeros textos já escritos e teses defendidas, que divergem sobre as dimensões da Baía de Todos- os-Santos, em verdade, a BTS descoberta é muito maior do que esta, oficial (ou oficiosa), nos dias de hoje.

Por tudo o que já lemos nos dias anteriores deste conjunto literário comemorativo, é evidente que temos em mãos um saudável e útil instrumento de verificação dos fatos históricos, que só o são se forem verdadeiros: os mapas.

NÃO SE FAZ GEOGRAFIA, ENQUANTO CIÊNCIA, SEM MAPAS.

Desde os mais antigos, desenhados em cima – dentro – de barcos; aos mais novos, decalcados de fotografias feitas por satélites, só podemos dizer da proposta de colocar a barra da Baía de Todos-os-Santos na linha que liga a Ponta do Padrão (Farol da Barra) à Ponta do Garcez (atrás da Ilha de Itaparica), como um exemplo do jeitinho brasileiro para economizar, fazendo a economia da porcaria. A linha reta da Ponta do Padrão para a Ponta do Garcez, tangenciando a Ilha de Itaparica é o que na gíria popular se diz ser e se cultiva como uma “forçação de barra”, com o único objetivo de cultivar a pobreza (gastar menos e ganhar menos). Em outras palavras, mais elegantes: “um recurso gráfico para enganar ignorantes”.

Embora a barra de uma baía seja uma linha reta, não deve ser qualquer linha reta, mas aquela que, no contexto cartográfico atenda o conjunto dos elementos geográficos com maior racionalidade, sem ir contra as causas do fenômeno geológico que determinou a posição de tais elementos, inclusive no entorno do que se deve enfocar prioritariamente como o “acidente”, isto é, sua causa. Em palavras científicas: não se deve registrar efeitos sem estudar causas. Ainda mais: não se faz ciência (tecnologia) apenas com figuras.

A GEOGRAFIA É FILHA DA GEOLOGIA

Consequentemente, os mapas não são apenas cartas de navegação que definem rotas, mas, sobretudo, elementos gráficos da geofísica. Sem tais estudos, não se pode/deve definir o tamanho da nossa BTS.

Adinoel Motta Maia

Foto: Rosilda Cruz / SECOM

O nome da baía

By | Notícias, qq coisa | No Comments

Não há dúvida sobre a data da chegada da expedição que deu nome à Baía de Todos-os-Santos – daí o seu nome – mas é evidente que essa foi a data da posse e não a da sua descoberta, feita pelo Gaspar de Lemos, no mesmo retorno de Porto Seguro a Portugal, no qual também descobriu a foz do rio São Francisco e o último ponto da costa brasileira, no R.G.do Norte – o Cabo de São Roque –  do qual tomou rumo para atravessar o oceano, de volta a Portugal, entre outros anotados em seu diário de bordo na subida e oficializados na descida, em sua volta, dando-lhes os nomes dos santos  desses dias do seu reencontro, no seu retorno: Cabo de S. Roque em 16 de agosto e Rio São Francisco em 4 de outubro, por exemplo.

Sim, foi Gaspar de Lemos o comandante da frota que chegou à Baía de Todos-os-Santos em 1º de novembro de 2001 (Dia de Todos os Santos, para a Igreja Católica). O Rei de Portugal – D. Manuel – o premiou pela sua performance, fazendo-o comandar a frota que retornou ao Brasil recém-descoberto para tomar posse e dar nomes aos lugares que ampliavam gigantescamente os domínios portugueses, constituída essa frota pelo seu barco e mais dois.

Nesse contexto, ainda há discussão sobre a Baía que tomou o nome de Todos-os-Santos e daria nome também à Capitania (hereditária) de Todos-os-Santos, a partir dela, para o Norte, porque, para alguns, essa baía seria marcada politicamente a partir da Ponta do Padrão (Farol da Barra) para o norte; mas acontece que não é bem assim, porque geograficamente a nossa BTS tem seu extremo sul no Morro de São Paulo, não sendo desejável, racionalmente, que a visão política seja contrária à visão científica.

Um ponto a destacar é que habitualmente os historiadores dão mais importância aos aspectos políticos e aos nomes dos seus agentes, do que aos dados científicos – precisos e permanentes – entre os quais estão os obrigatoriamente relacionados com o tempo (históricos) e inevitavelmente com o espaço (geográficos), responsáveis pelo nome BAÍA DE TODOS-OS-SANTOS!

1º de Novembro. Descoberta da Baía?

By | Notícias | No Comments

Sempre houve uma discussão e já tratamos deste assunto aqui, mas não custa andarmos por outro caminho, ainda que para chegar ao mesmo lugar. Estamos, os brasileiros e portugueses, comemorando a descoberta da Baía de Todos-os-Santos nesta data – Dia de Todos-os-Santos – razão pela qual ela tomou o nome que tem. Isto porque se considera a data da volta de Gaspar de Lemos, vindo de Portugal, provavelmente no comando da nau capitânia, em missão de tomar posse dos lugares por ele anotados na sua viagem de volta a Portugal, após o descobrimento do Brasil, para comunicar esse fato ao Rei.

Gaspar de Lemos era o comandante da nau de mantimentos, na esquadra de Pedro Álvares Cabral e foi incumbido por este de passar sua carga para os demais barcos e voltar a Lisboa para dar notícia ao Rei, das terras descobertas em 22 de abril de 1500, cuidando de tomar nota de tudo o que visse na costa daquela “ilha” no meio do oceano. Junto com as cartas dos capitães de todos os barcos e principalmente a feita pelo Pero Vaz de Caminha ao rei, levava ele um “diário de bordo” no qual os comandantes costumam anotar descobertas e ocorrências no seu trajeto.

A crença era a de que Porto Seguro seria uma ilha no meio do oceano e terminaria de ser vista após algumas horas de viagem para o Norte. Inevitavelmente, acompanhando a costa e anotando todos os acidentes geográficos observados, o comandante Gaspar gastava papel com suas anotações, em trajeto para o Norte, guardando distância segura do barco para a terra.

Sem qualquer dúvida, poucos dias após sua partida, em abril de 1500, inevitavelmente, não só passaria pelo Morro de São Paulo como veria o recuo da costa em seguida, mas seguiria direto na direção das terras em frente, mantendo o rumo para o Norte, assim descobrindo a maior baía que já teria visto,  aquela que – cerca de um ano e meio depois, a ela retornando com mais duas embarcações – reencontraria em 1º de novembro de 1501 (Dia de Todos-os-Santos), dando-lhe este nome.

Adinoel Motta Maia