100 anos do Edifício sede do G.P.L.

2 de fevereiro de 2018 Destaques, Eventos, História

O atual edifício sede do Gabinete Português de Leitura de Salvador, de estilo arquitetônico Neomanuelino (estilo arquitetônico com origens à época do Descobrimento), foi projetado entre 1912 e 1915 pelo arquiteto italiano Alberto Barelli e construído pelo mestre de obras português Pinto Parente.

Foi inaugurado a 3 de fevereiro de 1918.
O edifício apresenta uma fachada com elementos alusivos a glórias intemporais, representadas por um lado, pela figura do Infante D. Henrique, personagem fundamental na investigação cientifica e arranque dos descobrimentos, e por outro, pelo expoente máximo da literatura e língua portuguesa, Luiz de Camões. Compõem também a fachada escudos e brasões que completam o estilo arquitetônico e evidenciam o estilo neomanuelino.

Durante a sua trajetória, o Gabinete recebeu visitantes notáveis da cultura universal portuguesa, incluindo ministros e presidentes de Portugal. A 9 de junho de 1922, os aviadores portugueses Gago Coutinho e Sacadura Cabral – que estavam a completar a primeira ligação aérea Portugal-Brasil, ou se preferir, Europa-América – foram recebidos, solenemente, deixando escrito no Livro de Honra a passagem pela Instituição e pela primeira cidade do Brasil:

“Nunca poderemos esquecer que passamos no Gabinete Português de Leitura uma das noites mais felizes da nossa vida” 9-VI-22 (Livro de Honra, 1922).

Nesta data foi inaugurada a luz elétrica no GPL e apresentado o vitral produzido em 1921, na cidade de Paris, oferecido por um imigrante português. O vitral retrata a primeira missa celebrada no Brasil, então Terras de Santa Cruz, em 26 de abril de 1500, pelo Frei Henrique de Coimbra, próximo ao local da chegada da Armada de Pedro Álvares Cabral.

Ao se observar a história da Instituição, percebe-se que, assim como seus congêneres nas cidades do Rio de Janeiro e Recife, o Gabinete Português de Leitura de Salvador foi inteiramente concebido, tanto cultural quanto arquitetonicamente, como um lugar de reverência à cultura universal da língua portuguesa, um lugar de memória, sendo o livro utilizado como um dos instrumentos no resgate da memória construída pela língua portuguesa.

Atualmente
Estamos orgulhosos com a escolha de Salvador como Capital da Cultura da Comunidade dos Países da Língua Oficial Portuguesa. A decisão, anunciada em reunião da CPLP realizada no Convento do Carmo, em maio passado, não poderia ser mais adequada.

Vivemos numa cidade com um legado único, reconhecido no mundo. O conjunto arquitetônico, paisagístico e urbanístico do centro histórico da cidade, por exemplo, é reconhecido, desde 1985, patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, a Unesco.

Hoje, o Gabinete Português de Leitura promove ou ajuda a promover eventos, de âmbito exclusivamente cultural.

Essa promoção abrange essencialmente cursos, oficinas, palestras, debates, exposições amostras, leituras (etc.), na sua sede, ou fora dela, com a finalidade de promover ações culturais, destinados aos seus associados e ao público em geral, contribuindo dessa forma para o fomento do desenvolvimento cultural de Salvador.