Governo português reúne-se com Conselho Permanente das Comunidades Portuguesas

30 de maio de 2019 Comunidade, Destaques

Segundo uma notícia publicada pelo Governo Português, os Membros daquele Governo, receberem o Conselho Permanente das Comunidades Portuguesas, numa reunião que se realizou a 30/05/2019, na Presidência do Conselho de Ministros, em Lisboa.

Na reunião estiveram presentes os Ministros da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, da Cultura, Graça Fonseca, e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, Secretários das áreas das Finanças (António Mendonça Mendes), Administração Interna (Isabel Oneto), Justiça (Helena Mesquita Ribeiro), bem como o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro.

A Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa disse que os 12 conselheiros “que vêm dos mais diversos pontos do mundo trouxeram problemas concretos. A alguns pudemos responder na hora, outros ficamos com um caderno de encargos e de trabalho para desenvolver”.

A reunião, uma “conversa franca com os titulares das pastas”, permitiu “tomar conhecimento de problemas e responder a perguntas” dos membros do órgão consultivo do Governo em questões de emigração.

Esta reunião mostra que a sensibilidade do Governo, como um todo, é grande. A presença das várias áreas governativas na reunião e a capacidade de conversar sobre os problemas aumenta sempre a percepção sobre os pormenores e a capacidade de resposta”, disse ainda.

Mariana Vieira da Silva afirmou ainda que o Governo vai instituir uma prática regular de reuniões alargadas com o Conselho das Comunidades.

O presidente do Conselho Permanente das Comunidades Portuguesas, Flávio Martins, disse que a reunião “foi uma excelente iniciativa que decorreu da sensibilização do atual Governo para as questões das comunidades e também dessa mudança de paradigma do próprio Portugal” em relação aos portugueses no estrangeiro.

Flávio Martins disse que é importante que os portugueses percebam “que as comunidades não são hoje apenas aqueles que não tiveram oportunidade em Portugal”, “são pessoas de segunda ou terceira gerações que têm potencialidades e podem também contribuir para o progresso” do País.