Obra de Paulina Chiziane marca retorno do projeto Diálogos Atlânticos

24 de setembro de 2021 qq coisa

Niketche: uma história de poligamia, da moçambicana Paulina Chiziane, é a próxima atração do Diálogos Atlânticos, de volta em setembro. O encontro, no próximo dia 30, às 18 horas (Brasil) e 22 horas (Portugal) marca o retorno do projeto, iniciado em março a partir de uma parceria entre o Gabinete Português de Leitura da Bahia e o jornal português Sinal Aberto (sinalaberto.pt). A transmissão será realizada pelo canal do YouTube do Gabinete Português de Leitura da Bahia. Clique aqui para assistir ao programa.

Participam a professora Eliane Gonçalves, da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), e a italiana Marie Claire de Mattia, doutoranda na Universidade de Coimbra. Sandro Ornellas, professor do Instituto de Letras da UFBA será o provocador; o professor Osvaldo Silvestre, do Instituto de Estudos Brasileiros, da Universidade de Coimbra, o moderador.

Niketche: uma história de poligamia, de 2002, venceu o Prêmio José Craveirinha, pela Associação Moçambicana de Escritores ao melhor romance do ano. No livro, Paulina trata da “poligamia oculta”, presente numa sociedade na qual as mulheres são dependentes dos homens.

Diálogos – Estão previstas mais duas edições do Diálogos Atlânticos. Em outubro será a vez do autor brasileiro Reinaldo Moraes e a obra Pornopopeia. Em novembro, fechando o primeiro ano da série, os especialistas analisam Viagem à Índia, livro do angolano Gonçalo M. Tavares.