Portugal propõe Índia e Brasil para Conselho de Segurança

20 de setembro de 2017 Comunidade, Notícias

O Brasil e a Índia devem passar a ser membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas, disse esta tarde António Costa – primeiro ministro português – na sua intervenção em português na 72.ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Costa não deixou de referir a «emoção» de falar numa ONU com o primeiro secretário-geral português da sua história – António Guterres – e pediu “novo impulso” na reforma do Conselho, de modo a refletir uma “representatividade correspondente ao mundo atual” – nomeadamente a presença permanente do continente africano e que “o Brasil e a Índia são dois exemplos incontornáveis.”:

-“Os esforços em curso devem também dar um novo impulso à reforma do Conselho de Segurança, para lhe assegurar uma representatividade acrescida do mundo atual. O continente africano não pode deixar de ter uma presença permanente, e o Brasil e a Índia são dois exemplos incontornáveis. Por outro lado, a complexidade dos problemas globais que hoje enfrentamos impõe a necessidade de cultivar as parcerias, envolvendo não apenas os Estados, mas também as sociedades civis, as instituições financeiras internacionais, as entidades públicas e privadas”, referiu.

À margem da Assembleia Geral das Nações Unidas, o primeiro ministro português participou também numa reunião de trabalho da CPLP no âmbito da Missão Diplomática Brasileira.

Sobre a reunião, António Costa mencionou que “mais do que um processo de coordenação política e econômica, trabalhamos para que em breve seja possível a mobilidade no espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, assim como o reconhecimento dos títulos acadêmicos ou a portabilidade dos direitos sociais”.

O encontro também se destinou a fazer o ponto de situação no que respeita à forma como está a ser executada a nova visão estratégica da CPLP.