Sardinhada à Portuguesa

8 de junho de 2019 Comunidade, Eventos
festa da sardinha portuguesa2 (2)

No Brasil, é comum associar a tradição da culinária portuguesa ao bacalhau. Óbvio que “existem mais de 1001 maneiras” de confeccionar o bacalhau, mas, para além deste peixe, os portugueses costumam ter também na sua ementa normal, uma miríade de tantos outros peixes. Não é à toa que Portugal é o 3º país do mundo que mais consome peixe.

Como se disse, há muitos outros pratos deliciosos que ornamentam e enriquecem a culinária daquele povo e, nesta época (que vai do final de maio e abrange o mês de junho), o peixe eleito é a sardinha.

A sardinha – esse pequeno peixe comum a quase todo o planeta – é um peixe migratório.

Durante a sua viagem pelos diversos oceanos, ao atingir as costas africanas do atlântico, por altura de Marrocos e em direção à Costa Algarvia (sul de Portugal), motivada por alguns fatores (e, entre eles, a variação da temperatura e nutrientes da água do mar), começa a ganhar um sabor inigualável.

Talvez seja isso que tenha ajudado a transformar-se, desde à séculos, em um símbolo tradicional, ao ponto de estar inserido na cultura portuguesa, com a confecção de uma imensidão de pratos distintos, na literatura, nas canções, jogos populares e até mesmo na genealogia, surgindo como nome de algumas famílias.

A tradição de assar sardinhas artesanalmente nas calçadas é uma marca da cultura portuguesa. Temperadas com sal grosso, os peixes são colocados diretamente na brasa.

Apesar de alguns mitos e crenças do passado que o seu consumo poderia resultar em problemas intestinais, hoje sabemos que a sardinha é um prato de muitos benefícios para a saúde, especialmente pelo fato dela ser uma grande coadjuvante na luta por um melhor controle de colesterol, hipertensão, como também, na prevenção de riscos de acidentes cardiovasculares, por possuir muito “omega 3“.

Para além dos benefícios para a saúde, temos que também entender que, durante alguns momentos na história portuguesa, a população mais pobre consumia a sardinha, enquanto que o bacalhau, era o preferido dos mais abastados. Óbvio que nem sempre foi assim, mas importa salientar que estes dois peixes – em conjunto com o carapau – sempre se posicionaram entre os peixes de eleição dos portugueses.

Vale ressaltar aqui que a tradição de comer as sardinhas sobre o pão surgiu a partir de meados do século XV.

Por último, importa destacar que, para os portugueses, o grande segredo de uma sardinhada maravilhosa e genuinamente portuguesa, está em colocar o peixe inteiro na brasa, depois de ser temperada com o sal grosso, sem tirar “os miúdos”.

Ao deixar-se o peixe inteiro sem qualquer corte, torna a iguaria muito mais gulosa

Evento incorporado nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas

Reservas, só até ao dia 13/06/2019, através do Telefone (71) 3329-2733 (secretaria do G.P.L.), com mais detalhes.

Há lugar à cobrança antecipada de um valor simbólico (para ajuda às despesas do evento):
R$ 120 por adulto (a partir dos 13 anos); R$ 60,00 por criança ( dos 8 aos 12 anos).

Realização:
Fumeiro do Portuga
Festa Portuguesa

Apoio:
Gabinete Português de Leitura da Bahia